Afinal, o que preciso saber sobre soft skills?​

Você já ouviu falar em soft skills? O termo diz respeito às habilidades relacionadas à personalidade de um profissional, como capacidade de comunicação ou trabalho em equipe. Segundo estudo do site de recrutamento CareerBuilder, 77% dos empregadores acreditam que essas habilidades são tão importantes quanto as capacidades técnicas na rotina de trabalho.

São as soft skills que vão indicar ao recrutador de que maneira o profissional lida com os desafios do dia a dia. De acordo com a pesquisa, as dez habilidades pessoais mais procuradas pelas organizações são:

  • princípios éticos;
  • confiança;
  • atitude positiva;
  • motivação;
  • trabalho em equipe;
  • organização e gestão do tempo;
  • capacidade de trabalhar sob pressão;
  • comunicação;
  • flexibilidade;
  • segurança;

Para você entender melhor por que essas habilidades são tão valorizadas pelas empresas, preparamos um post com todos os detalhes mais importantes sobre as soft skills. Confira a seguir!

Quais são as diferenças entre soft skills e hard skills?

Além das soft skills, também são avaliadas pelos recrutadores as chamadas hard skills. Nessa categoria, enquadram-se as habilidades técnicas do candidato, como a capacidade de operar uma máquina, o nível de proficiência em algum software ou os conhecimentos específicos em determinada área de atuação.

A diferença mais importante entre soft skills e hard skills está no aprendizado. Habilidades técnicas podem ser adquiridas na faculdade, nos cursos livres e nas experiências de trabalho anteriores. As soft skills, por outro lado, são partes da personalidade do profissional, características pessoais que ele provavelmente já carrega ao longo de toda a vida.

É claro que as soft skills também podem ser ensinadas, treinadas e desenvolvidas, mas esse é um processo muito mais demorado. Já imaginou como seria difícil transformar um gestor agressivo em um líder carismático? Ensinar um leigo em audiovisual a utilizar uma ferramenta de edição de vídeos seria muito mais simples.

Por que as soft skills são tão valorizadas?

Existem muitas vantagens estratégicas em contratar pessoas que tenham soft skills desenvolvidas. Para que a equipe entregue os resultados esperados, um bom relacionamento entre os colegas é essencial. É aí que entram, por exemplo, as habilidades de comunicação e trabalho em equipe. Se os profissionais do time tiverem essas competências, fica fácil estabelecer um dia a dia produtivo e harmonioso.

Outra situação em que as soft skills são necessárias é na resolução de problemas do dia a dia. Profissionais proativos costumam procurar soluções por conta própria, levando aos gestores apenas questões que estejam completamente fora de seu alcance. Quando a equipe não depende tanto das decisões da liderança, os processos se tornam dinâmicos e os resultados acontecem de forma mais rápida e eficiente.

O fato de esse tipo de competência ser uma habilidade transferível também é um ponto positivo. Isso significa que, com o convívio diário, as pessoas da equipe podem ir aos poucos aprendendo soft skills umas das outras.

Um profissional com atitude extremamente positiva, por exemplo, pode transformar a forma de pensar do time inteiro ao longo do tempo. No entanto, o contrário também acontece: uma pessoa negativa, que só reclama, pode acabar contaminando o ambiente. Essa é a importância de se preocupar em recrutar funcionários com o perfil correto.

Por último, é importante destacar que soft skills podem ser usadas em qualquer tipo de profissão ou emprego. Ou seja, no caso de um analista financeiro ser transferido para a área de marketing, ele poderá ter muito sucesso se for uma pessoa criativa e comunicativa.

Como avaliar soft skills durante a entrevista de emprego?

Competências técnicas são mais fáceis de serem avaliadas do que habilidades comportamentais. Se um candidato colocar no currículo que seu inglês é fluente, basta aplicar testes orais ou escritos para comprovar se a afirmação é verdadeira ou não. O mesmo vale para proficiência em softwares e outros conhecimentos específicos.

Sendo assim, como é possível avaliar soft skills de maneira eficaz? Para isso, é necessária uma dedicação especial no momento da entrevista. Fazer as perguntas certas e prestar atenção nas respostas é fundamental para identificar se o candidato tem as características pessoais desejadas.

O ideal é que o entrevistado saiba fazer a conexão entre suas habilidades e os resultados profissionais e que tenha uma visão de mundo naturalmente empática, otimista e colaborativa.

Não existe fórmula mágica, é claro, mas listamos algumas perguntas que podem ajudar nessa missão. Veja abaixo.

“Conte-me sobre um período em que precisou trabalhar em equipe”

Se o candidato falar mal do grupo em que trabalhava e disser que precisava resolver tudo sozinho, descarte-o. Mesmo que a história seja verdadeira, um bom entrevistado a contaria de outra forma. Uma resposta como essa significa que a pessoa não se preparou bem para a entrevista, já que não sabe que não deveria fazer críticas aos ex-colegas.

A melhor resposta, nesse caso, é aquela que descreve como as contribuições de todos no grupo foram importantes para o sucesso do projeto. Se o candidato conseguir contar sobre o próprio trabalho e ainda valorizar a atuação daqueles que ajudaram, pode ter certeza que é um profissional com forte habilidade de trabalho em equipe.

“Fale sobre uma situação na qual precisou pedir ajuda”

Essa é outra boa questão para avaliar se o candidato sabe ou não trabalhar em equipe. Caso ele diga que não se lembra, desconfie. Um profissional que trabalha bem em grupo sabe que ninguém é bom em tudo e faz questão de pedir ajuda aos colegas sempre que necessário. E, é claro, também é sempre solícito ao prestar apoio aos companheiros. Esse tipo de funcionário não terá dificuldades em responder à pergunta.

“Se algum dia você tivesse que desempenhar uma função que está fora da descrição do seu cargo, como reagiria?”

Essa pergunta avalia a proatividade e a versatilidade do candidato. Profissionais sem essas soft skills deixarão evidente, de alguma forma, seu desconforto com esse tipo de situação, mesmo que tentem disfarçar. Caso o entrevistado se mostre verdadeiramente disposto e capacitado para realizar qualquer tipo de função, ponto para ele.

Este foi o nosso guia com tudo o que você precisa saber sobre soft skills. Agora que já aprendeu como identificá-las, é hora de colocar as dicas em prática! Revise este post quantas vezes forem necessárias, planeje um passo a passo e mãos à obra! Com isso, você certamente fará as melhores contratações para o seu time de colaboradores.

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário com suas opiniões ou dúvidas! Será um prazer discutir o assunto com você! Também não esqueça de se inscrever na nossa newsletter e continuar recebendo conteúdos assim!

New Call-to-action

Inscreva-se na nossa Newsletter

Ebook: Como escolher as melhores perguntas para entrevistas de Candidatos
Painel de Indicadores de Recrutamento e Seleção Planilha Custo do Recrutamento e Seleção
Dedila Costa | GUPY

Dedila Costa | GUPY

Sua formação é composta pelo curso de Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Piauí e extensão pelo Mackenzie. Atuou em grandes projeto de expansão de marca empregadora de empresas brasileiras e multinacionais entre jovens como consultora especialista em Employer Branding. Hoje é responsável por garantir otimização nos indicadores de R&S de seus clientes.