Teste comportamental é realmente eficaz? Tire suas principais dúvidas!

Conhecer o perfil dos funcionários é fundamental para montar uma equipe alinhada com os objetivos da organização. Entre os recursos usados pelo RH para avaliar o time, um dos mais eficazes é o teste comportamental. Por meio dele, o funcionário consegue descobrir detalhes sobre a própria personalidade e desvendar quais são seus pontos fortes e fracos.

Portanto, esse tipo de teste é uma excelente ferramenta para quem busca autoconhecimento, além de ser essencial para a estratégia de qualquer empresa. Afinal, é uma ótima oportunidade de identificar talentos, descobrir líderes em potencial e prever qual será a conduta de um colaborador em determinadas situações.

Para ajudar você a entender melhor o assunto, montamos este guia com tudo o que você precisa saber sobre teste comportamental. Como funciona? Quais são as vantagens? Acompanhe o post e confira as respostas!

Como funciona o teste comportamental?

Os testes consistem em questionários que mapeiam as competências dos colaboradores. A partir das respostas são identificados padrões comportamentais, que servem para encaixar o funcionário em um determinado perfil profissional. São avaliadas habilidades como tomada de decisões, estilo de liderança, nível de autoestima e reação à pressão, entre outras.

Os perfis profissionais foram desenvolvidos com base em estudos de psicologia, de forma que os resultados reflitam mesmo a realidade. Nos últimos anos, os testes passaram a ser integrados a ferramentas tecnológicas, que geram relatórios completos com mais precisão e velocidade.

Mesmo com o auxílio de plataformas virtuais, a elaboração e análise dos questionários precisam ser feitas por uma equipe altamente qualificada, pois os resultados requerem interpretações específicas. Desse modo, é possível considerar todas as variáveis possíveis e identificar em que tipo de situação elas devem ser aplicadas.

Em que situações os testes podem ser aplicados?

Os testes comportamentais podem ser extremamente úteis em diversas situações na rotina de uma empresa, sobretudo para a equipe de RH. Confira a seguir algumas das aplicações mais comuns da ferramenta.

Recrutamento e seleção

Aplicar testes comportamentais em processos seletivos vem se tornando uma prática cada vez mais comum no mercado de trabalho. Ao fazer isso, o recrutador consegue avaliar as competências técnicas e pessoais dos candidatos antes da contratação, verificando se aquele profissional é compatível com os requisitos da vaga e com a cultura da organização.

Realocação e promoção de funcionários

Antes de promover ou realocar um colaborador, é recomendável fazer uma análise detalhada de seu perfil profissional.

Se o funcionário estiver sendo cotado para um cargo de liderança, avalie sua motivação, nível de satisfação e comprometimento com o trabalho, além de verificar se ele possui habilidades típicas de bons gestores, como comunicação e iniciativa. Isso vai ajudar a identificar os pontos a melhorar e desenvolver os treinamentos certos para prepará-lo para o cargo.

O mesmo vale para a realocação de um funcionário para outro setor. O teste comportamental vai ajudar a direcionar o colaborador para um departamento no qual seus pontos fortes serão melhor aproveitados.

Orientação vocacional

Testes comportamentais são muito usados na orientação vocacional de jovens que ainda não sabem qual profissão seguir, ou profissionais já experientes que pretendem mudar de carreira. O questionário ajuda a tomar uma decisão baseado nos gostos, preferências e hábitos da pessoa, o que aumenta muito as chances de sucesso na atividade escolhida.

Planejamento estratégico

Conhecer o perfil dos funcionários é um grande diferencial na hora de traçar o planejamento estratégico da empresa. Dessa forma, é possível identificar as competências e padrões comportamentais de cada membro da equipe, organizando os projetos e distribuindo demandas de acordo com essas informações.

Quais são os principais perfis profissionais existentes?

Ao longo dos anos, muitos estudos traçaram diversos perfis de comportamento no mercado de trabalho, estabelecendo vários tipos de analogias e nomenclaturas diferentes. No entanto, é possível classificar a maioria dos profissionais em quatro perfis básicos: comunicador, executor, idealizador e organizador.

Todo mundo tem características de todos os perfis, mas é comum que um dos quatro seja predominante na personalidade. Veja a seguir uma explicação mais aprofundada de cada padrão comportamental.

Comunicador

Esse tipo de profissional adora trabalhar em equipe. São pessoas que se dão muito bem em ambientes colaborativos, promovem a harmonia entre os colegas e compartilham de forma natural a cultura da empresa. Extrovertidos, se comunicam de forma aberta e têm uma grande capacidade de persuasão.

Por serem pessoais muito sociais, precisam mais de carinho que outros funcionários, o que pode ser considerado um ponto a melhorar. Só se sentem seguros quando são notados, aceitos no grupo e têm seu trabalho reconhecido por gestores e colegas.

Executor

São profissionais com altíssimo foco em resultado. Eles adoram vencer desafios, têm senso de urgência e não veem problemas em desempenhar várias atividades ao mesmo tempo. Toda tarefa dada a um executor será entregue com rapidez e qualidade, o que torna esse tipo de talento extremamente necessário em qualquer organização.

Autossuficientes, eles podem ter problemas para se relacionar com os colegas e delegar tarefas. Por terem o ímpeto de entregar resultados rapidamente, também acabam escolhendo atalhos que não seriam os mais indicados em algumas situações. Fique atento nesses pontos a desenvolver para extrair o máximo da capacidade desse perfil profissional.

Idealizador

O lema desses profissionais é “fazer diferente”. São pessoas que enxergam o mercado e o negócio como um todo, têm foco no futuro, intuitivos e visionários. Por estarem sempre um passo à frente, são os primeiros a trazer soluções criativas e inovadoras. Portanto, são fundamentais para manter uma empresa relevante e competitiva no mercado.

O maior ponto de atenção com esse tipo de talento é a dificuldade de prestar atenção no presente, por causa do turbilhão de ideias e informações que passa por sua mente a cada segundo. É preciso lembrá-lo sempre que a execução das tarefas atuais é tão importante quanto a implementação de ideias futuras.

Organizador

Para esse tipo de profissional, só existem dois jeitos de fazer as coisas: o certo e o errado. São pessoas com alta capacidade de análise e planejamento, que executam suas tarefas de maneira metódica e organizada. Se dão melhor em empresas com processos e regras bem definidas, que combinam mais com essa personalidade.

Costumam ser leais, conseguem viver o presente, projetar o futuro e aprender com o passado. Buscam o equilíbrio e valorizam suas responsabilidades acima de tudo. No entanto, podem sentir dificuldade em seu adaptar a mudanças, já que fazem tudo de maneira planejada. Pelo mesmo motivo, também podem se incomodar quando precisarem assumir riscos.

Chegamos ao final do nosso artigo sobre teste comportamental! Agora que você já sabe tudo sobre essa ferramenta, basta colocá-la em prática na sua empresa. Faça uma análise de cenário, escolha os métodos certos e mãos à obra! Temos certeza de que em pouco tempo você conseguirá obter excelentes resultados.

Gostou do post? Que tal se tornar um especialista em testes comportamentais, análises de desempenho e outras ferramentas? Confira nosso curso intensivo de recrutamento e seleção e melhore a performance do seu RH!

New Call-to-action

Inscreva-se na nossa Newsletter

Ebook: Como escolher as melhores perguntas para entrevistas de Candidatos
Painel de Indicadores de Recrutamento e Seleção Planilha Custo do Recrutamento e Seleção
Dedila Costa | GUPY

Dedila Costa | GUPY

Sua formação é composta pelo curso de Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Piauí e extensão pelo Mackenzie. Atuou em grandes projeto de expansão de marca empregadora de empresas brasileiras e multinacionais entre jovens como consultora especialista em Employer Branding. Hoje é responsável por garantir otimização nos indicadores de R&S de seus clientes.