FTE (Full-time equivalent): o que é e como calcular

FTE (full time equivalent) é um indicador que compara as horas trabalhadas com a jornada esperada. O cálculo do FTE é: horas totais trabalhadas dividas pelo limite da jornada de trabalho.


4 minutos de leitura

O full-time equivalent (FTE) é um dos indicadores de RH mais importantes para entendermos a quantidade de pessoas alocadas nas atividades da empresa. Logo, ajuda a reduzir custos e delegar atividades sem sobrecarregar os colaboradores.

Saber calcular esse indicador é uma habilidade relevante para gerir equipes com mais eficiência. Você pode fazer avaliações para melhorar as entregas tanto para os profissionais quanto para a empresa.

Então, vamos entender como funciona o FTE? Continue a leitura e conheça um KPI importante para melhorar ainda mais a sua gestão de pessoas!

O que é FTE (full-time equivalent)?

A tradução literal é “equivalente em tempo integral”. Na prática, o indicador compara as horas de trabalho com a jornada esperada para um profissional em tempo integral. O resultado é um percentual de FTE.

Horas de trabalho de um colaborador

A primeira variável é a quantidade de horas que uma pessoa trabalha semanalmente. Nesse caso, as férias, licenças e faltas justificadas não são consideradas, mas apenas os dias úteis em que o profissional deve estar na empresa.

Jornada em tempo integral

O indicador usa o tempo integral como base de comparação. O valor pode ser estimado em 40 horas semanais. Alternativamente, você pode adotar a média dos colaboradores em tempo integral da empresa.

Qual é a importância do FTE?

O papel do full-time equivalent é servir de parâmetro para tomada de decisões. O foco é ter mais conhecimento sobre as atividades estratégicas da empresa e identificar as necessidades e capacidades internas.

Um exemplo é usar o FTE para medir os impactos das ausências injustificadas ao trabalho. Quanto maior o absenteísmo do colaborador, mais distante ele estará dos 100% de equivalência com uma jornada de tempo integral.

Outra aplicação é avaliar a carga de trabalho. Se um projeto pede 40 horas de esforço semanal e o FTE é de 80%, o colaborador sozinho não consegue concluir as tarefas com suas horas habituais. Portanto, haverá horas extras.

Também é uma maneira de avaliar a produtividade. Imagine que um profissional entrega 100 unidades, enquanto outro realiza 30 com o mesmo FTE. Aqui, pode ser o caso de qualificar o segundo colaborador ou de o primeiro ter excesso de qualificação para o cargo, por exemplo.

Qual é o impacto do FTE nas empresas?

O indicador avalia o tempo de trabalho do profissional. Assim, conseguimos tomar decisões sobre promoções, dispensas, contratação, divisão de tarefas e treinamentos com mais eficiência. Veja os benefícios dessa métrica:

  • entender a carga de trabalho dos colaboradores;
  • verificar o impacto das ausências;
  • comparar a produtividade da empresa;
  • ajustar a carga de trabalho;   
  • minimizar as horas de trabalho ociosas;
  • reduzir custos com excessos de pessoas. 

Você adquire clareza sobre a força de trabalho. Além disso, aprende sobre o tempo do colaborador, verificando se o serviço está dentro, além ou aquém de suas possibilidades.

Como calcular o FTE?

O cálculo é simples: horas de trabalho de um colaborador ÷ limite de jornada em tempo integral. Considere, por exemplo, a situação de três profissionais:

  • Fulano faz 30 horas semanais;
  • Sicrano trabalha por 40 horas;
  • Beltrano alcança 48 horas na semana.

Ao usar o valor médio de 40 horas para o trabalhador full time, teríamos os seguintes resultados:   

  • Fulano;
  • 30 ÷ 40 = 0,75 ou 75% de FTE;
  • Beltrano;
  • 40 ÷ 40 = 1 ou 100% de FTE;
  • Sicrano;
  • 48 ÷ 40 = 1,2 ou 120% de FTE.

Na hora de comparar o full-time equivalent com as horas necessárias para terminar uma atividade, você também pode considerar os minutos para o café, interação com os colegas, pausas para descanso etc.

Um exemplo é estimar em 15%, mas você pode usar o tempo apurado na sua empresa. Nesse caso, o profissional que tinha FTE de 100% passa a ter 85% com a margem. Logo, se com 100% são entregues 10 tarefas a pessoa consegue fazer 8,5 em média.

Viu só? O full-time equivalent traz precisão para a avaliação da força de trabalho. Logo, você alocará as quantidades certas de pessoas, o que contribui para conter os gastos e não sobrecarregar os colaboradores.

Siga a Gupy no Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube para acompanhar as tendências de RH e sempre levar novidades para sua empresa!

Nova call to action
Vamos juntos tranformar o RH da sua empresa?

Contrate a pessoa certa, sempre.

Os seus critérios de seleção, aplicados de maneira inteligente e rápida com a Gupy - o software de Recrutamento e Seleção favorito das grandes empresas do Brasil.

Solicitar demonstração →