Conheça o que é e como medir o Employee lifetime value (ELTV) 

Você conhece o conceito de Employee Lifetime Value (ELTV)? Melhor dizendo, você sabe quanto seus colaboradores trazem de real retorno à sua empresa?

Essa é uma questão realmente complexa, mas neste artigo, vamos te mostrar como o ELVT pode te ajudar a responder essa pergunta.

Uma pesquisa global da Gallup de 2017 identificou que 85% dos profissionais entrevistados não estavam engajados em suas empresas. Por outro lado, sabemos que um dos objetivos principais de líderes organizacionais no mercado atual é gerar engajamento.

Por isso, vamos abordar:

  • Por que sua empresa precisa calcular o valor do capital humano;
  • O que é Employee Lifetime Value e como calculá-lo;
  • Quais são os benefícios de usar esse indicador;
  • Qual é a relação dele com o engajamento e a retenção de talentos em sua empresa.

Quer saber a fundo sobre esse tema e descobrir como esse conceito pode mudar a forma de enxergar funcionários em sua organização? Então siga a leitura!

Por que calcular o valor do capital humano?

O capital humano tem sido preocupação constante das organizações, e não é para menos. Desenvolvê-lo garante que sua força de trabalho esteja sendo eficaz, eficiente e, em última análise, aumentando o desempenho geral de sua empresa.

Por isso mesmo, calcular o seu valor é necessário porque você identifica quais lacunas existem na área e deixa mais claro quais objetivos gerais da organização devem ser melhorados.

Métricas e os indicadores de desempenho também são motivos para este cálculo. É por meio deles que o sucesso de um setor é analisado e, a partir das informações geradas, tomar decisões importantes.

Calcular o retorno sobre investimento (ROI), por exemplo, é uma prática comum. Contudo, quando se trata de recursos humanos, como é possível entender quais são os lucros que o investimento em pessoas gera?

Veja que se trata de um custo conhecido, mas com um retorno desconhecido. De forma que virou necessário buscar formas de tornar tangível o capital humano.

E é aí que entra a métrica de Employee Lifetime Value. Quero que você entenda agora como funciona esse indicador e como mensurá-lo pode ajudar na construção do RH estratégico.

Conheça aqui cada detalhe do planejamento estratégico e o passo a passo para tornar seu recrutamento e seleção muito mais eficiente!

Banner do checklist gratuito "Planejamento Estratégico de recrutamento e seleção", com um botão escrito "baixe agora"

 

 

Explorando o conceito de Employee Lifetime Value

O que é Employee Lifetime Value?

O termo pode ser traduzido como valor do tempo de vida do funcionário. O ELTV é uma forma de mensurar o retorno financeiro que cada colaborador da sua empresa vai gerar durante o tempo que estiver trabalhando na organização.

Essa jornada do colaborador começa no momento da contratação, no qual custos são gerados para a empresa com o processo de recrutamento e seleção.

Em seguida, ele começa a produzir receita, operando em seu máximo engajamento. Com o tempo, havendo perda de engajamento, os lucros produzidos caem até o momento do offboarding (ou desligamento da empresa), que pode acontecer por desejo do profissional ou por decisão da gestão.

De qualquer forma, mais custos são originados nessa etapa. Assim, o objetivo da gestão de recursos humanos é aumentar a taxa de ELTV, com o colaborador em total engajamento por bastante tempo na empresa.

Como calculá-lo?

O cálculo desse indicador é realmente desafiador, porém extremamente necessário. O desafio se dá em criar formas de mensurar valores intangíveis.

Por exemplo, uma forma mais comum de medir o lucro que um funcionário gera é observando as vendas que ele realiza, sua gama de clientes ou o ticket médio de suas negociações. Mas esse modelo é inválido para diversos outros setores dentro de uma empresa, não é mesmo?

Nesse sentido, outros fatores precisam ser considerados ao calcular o ELTV, onde estão relacionados à economia que eles geram à empresa e ao potencial para gerar resultados. Entre eles, estão:

  • Entusiasmo do profissional ao mencionar a empresa externamente;
  • Motivação para trabalhar em equipe e fomentar um ambiente saudável; 
  • Aderência ou fit cultural com a empresa e esforço em desenvolvê-la;
  • Potencial criativo para inovações que vão gerar novos produtos;
  • Integração em programas de desenvolvimento.

Quais são os benefícios?

Um das principais vantagens de adotar o Employee Lifetime Value é conseguir enxergar com clareza o valor que as pessoas têm para a empresa, utilizando os dados para incentivar a valorização de funcionários e o desenvolvimento de uma cultura “people first”.

Afinal, gestores vão perceber que o investimento do time de talentos não está sendo em vão para os resultados da organização. Assim, esses valores vão ser estratégicos para o desenho de mudanças positivas na empresa.

Outro benefício é alertar para a responsabilidade da empresa no aumento de valor de um funcionário. Dessa forma, o desempenho de um colaborador fica mais condicionado a fatores como eficiência do processo de onboarding, qualidade da gestão, oportunidades de desenvolvimento e força da cultura.

Essa percepção é fundamental para o crescimento da empresa por meio de investimento em employee experience.

Por que é uma métrica-chave?

Essa é uma métrica que pode mudar o olhar da empresa em relação a diversas outras métricas, por exemplo, taxas de satisfação, de produtividade e de turnover.

Isso porque trabalhar o aumento do Employee Lifetime Value vai englobar melhores estratégias, as quais vão desde a realização de um processo de recrutamento com redução de custos até a manutenção de pessoas satisfeitas e produtivas que dão resultados.

Como ele interfere na retenção de talentos?

Finalmente, é fundamental entender o papel do Employee Lifetime Value na retenção de talentos. De acordo com outra pesquisa da Gallup, times altamente engajados mostram 21% de aumento na lucratividade.

Essas equipes apresentam até 41% de redução no absenteísmo e 59% menos turnover. São números impressionantes que mostram a necessidade urgente de investir no engajamento de pessoas e em jornadas de colaborador que gerem valor real.

Na sequência, veja algumas medidas que sua empresa pode adotar para engajar mais pessoas e reter talentos:

  • Oferecer oportunidade de desenvolvimento profissional;
  • Apostar em uma comunicação mais eficaz e horizontal na empresa;
  • Desenvolver líderes para que eles se relacionem melhor com as equipes;
  • Fomentar uma cultura com valores relevantes e senso de propósito;
  • Investir no processo de contratação, para escolher talentos capacitados e que tenham fit cultural com a empresa.

Falando um pouco mais sobre esse último ponto, é importante destacar a necessidade de parar de contratar de forma intuitiva e passar a fazer um recrutamento inteligente, com base em dados reais.

Assim, o Employee Lifetime Value se torna uma forma de aprimorar a experiência do profissional, desde seu primeiro contato com a empresa e durante toda sua jornada de colaborador. Para a empresa, o resultado são equipes mais fortes e produtoras de resultados.

Esta é apenas uma das principais métricas do Capital Humano. Quer descobrir como tornar seu RH mais estratégico? Então baixe agora nosso guia completo, com todos os principais KPIs e métricas para você medir no seu processo de recrutamento e seleção!

Banner do ebook  gratuito "Enciclopédia do RH estratégico: recrutamento e seleção", com um botão escrito "baixe agora"

Inscreva-se na nossa Newsletter

Banner do ebook "Manual de criação do 'trabalhe conosco': a receita para a página de carreiras épica", com um botão escrito "baixe nosso e-book"
Banner do ebook "Curso intensivo de recrutamento e seleção para alta performance 2.0 | Agora com certificado", com um botão escrito "inscreva-se"
Banner do ebook "Diagnóstico de recrutamento e seleção: descubra e melhore a maturidade dos seus processos", com um botão escrito "conferir agora"
Mariana Dias | GUPY

Mariana Dias | GUPY

Formada em Administração de Empresas pela USP e com especialização em Empreendedorismo e Inovação, Mariana é CEO & Co-founder da GUPY. Descobriu sua paixão por RH logo no início de sua carreira e foi Business Partner da área para toda a América Latina em uma multinacional do setor de bebidas. É apaixonada desafios e por tudo relacionado a gestão de pessoas e inovação.