Entenda como elaborar um organograma matador para seu setor

4 minutos de leitura

Você conhece sobre organogramas?

Sabemos que diversos processos atravessam a organização de uma empresa e o bom funcionamento dela. Para que haja harmonia e lógica nas rotinas realizadas, alguns métodos são adotados para o alinhamento de toda a equipe. Um deles é o organograma.

Essa estrutura é uma peça fundamental para a gestão de um negócio, pois delimita os cargos e traça as linhas de hierarquia que são adotadas.

Você sabe como montar um organograma que realmente representa a estrutura da sua organização? Lendo este artigo você vai descobrir:

  • o que é um organograma e para que serve;
  • são os principais modelos dessa ferramenta; 
  • por que o organograma funcional é interessante para o RH;
  • como elaborar um organograma funcional.

O que é um organograma e para que serve?

Um organograma é um método de estruturação de equipes dentro de uma empresa. O objetivo dessa ferramenta é organizar os espaços nos quais cada profissional estará inserido, além de esclarecer a qual nível cada um dos outros níveis deve se comunicar e prestar contas.

Ele deve fazer parte do planejamento estratégico de uma organização, na medida em que é por meio dele que as relações de responsabilidades ficam evidentes.

Um organograma é elaborado com caixas que contêm, cada uma, os cargos existentes na corporação, como CEO, vice-presidente, diretor, gerente, auxiliar, estagiário, entre outros. Linhas ligam as caixas para demonstrar as hierarquias.

Uma ferramenta como essa oferece uma visão panorâmica sobre a organização e é interessante não apenas para os gestores, mas também para os colaboradores em todos os níveis.

Quais são os principais modelos dessa ferramenta?

Apesar da proposta de organização permanecer a mesma em todos eles, existem diferentes modelos de organograma. Na sequência, separamos alguns dos principais utilizados no mercado corporativo.

Clássico

O modelo clássico dessa ferramenta é vertical e coloca o presidente ou CEO no topo da pirâmide. Abaixo, aparecem diretores, como o comercial, o administrativo ou o técnico, sendo seguidos pelos gerentes e suas equipes.

Horizontal

O organograma horizontal também deixa marcadas as hierarquias da empresa. No entanto, a estruturação é feita para a lateral, e não de cima para baixo. O intuito é mostrar que as relações de poder têm menos importância, sem que se perca a ideia de organização.

Circular

Nesse modelo, a relevância do trabalho em equipe é acentuada ao expor os cargos lado a lado em forma de círculo. No centro do círculo está o CEO ou presidente, e o restante da hierarquia caminha para as extremidades da figura.

Setorial

O organograma setorial obedece ao mesmo padrão do tradicional, com a diferença de fazer referência a um setor específico da empresa. Isso é adequado para grandes corporações que contam com times bem estruturados e muitos profissionais.

Matriz

Pode ser usado em projetos específicos para demonstrar quais setores vão trabalhar juntos e a quem prestarão contas.

Por que o organograma funcional é interessante para o RH?

Existe ainda um outro modelo que se apresenta com grande relevância para o trabalho da área de Recursos Humanos. É o organograma funcional, que tem como principal diferença a classificação por funções e não por cargos hierárquicos.

O conceito de organograma funcional se mostra muito interessante para empresas que estão desenvolvendo uma cultura organizacional mais sólida e com foco na valorização de pessoas.

Modelos tradicionais tendem a exaltar as relações de poder, criando, muitas vezes, a sensação de inferioridade nos cargos que estão mais baixo na hierarquia.

Já na estrutura funcional, a proposta é valorizar as atividades exercidas por cada pessoa e mostrar, de maneira integrada, como o profissional se insere no desempenho total da empresa.

Isso é valioso pois mostra, de forma clara, a atuação de cada um no sucesso coletivo e permite maior aproximação entre todos os setores, fomentando, inclusive, uma comunicação mais horizontal e clara.

Como elaborar um organograma funcional?

A grande diferença do organograma tradicional para o funcional é a importância dada às funções em detrimento dos cargos hierárquicos. Entretanto, a estrutura para elaborar o modelo do segundo permanece a mesma.

Para criar um organograma funcional, é fundamental seguir alguns passos. Entenda abaixo cada uma dessas etapas.

Estudo das funções

Primeiramente, é necessário que haja um entendimento profundo do funcionamento de todas as áreas da empresa e, para isso, é crucial fazer um mapeamento minucioso.

É preciso entender quais são as funções desempenhadas por cada colaborador e como elas se posicionam na construção de resultados da equipe e da empresa.

A fim de realizar esse estudo, é possível fazer um acompanhamento das rotinas dos times, incluindo entrevistas com os profissionais e com os gestores.

Identificação de líderes

Durante esse processo de observação, também é importante identificar os profissionais que são líderes das equipes, ou seja, é preciso pontuar os responsáveis pelas estratégias e pelo direcionamento das ações.

Além disso, recomenda-se conversar com esses profissionais em posição de liderança para entender quais são suas responsabilidades.

Oficialização

Para finalizar a elaboração do organograma do seu negócio ou organização, é preciso conferir a legitimidade das informações com os gestores das equipes e o setor administrativo, garantindo que o documento represente a realidade da empresa.

Por fim, compartilhe essa estrutura com todos os profissionais da empresa e use-a estrategicamente para pensar melhorias e formas de integração.

Quais são as principais dicas para a criação de um organograma funcional?

Na sequência, separamos algumas dicas valiosas que podem ajudar você a criar um organograma funcional:

  • separe os níveis por cores diferentes;
  • use ferramentas digitais para elaborar o organograma; 
  • conte com profissionais externos que tenham especialização no assunto e fiquem responsáveis pela identificação das funções;
  • reveja organogramas antigos da empresa para entender como o funcionamento da organização mudou;
  • garanta que os profissionais estarão integrados ao processo de elaboração;
  • desenvolva formas de apresentar as informações de forma clara e objetiva.

Elaborar um organograma é um passo importante para uma empresa que deseja ter uma visão ampla sobre as relações e o processo do ambiente corporativo. Ele é uma excelente ferramenta para tomada de decisões e entendimento de estruturas.

O modelo de organograma funcional é uma alternativa estratégica para organizações que buscam aproximar e valorizar as pessoas, mostrando como todas estão integradas e são valiosas para o bom funcionamento da companhia. Que tal criar o seu hoje mesmo?

Gostou do artigo? Então não deixe de curtir a página da Gupy no Facebook! É por lá que estamos sempre compartilhando diversos conteúdos que podem alavancar sua carreira e sua empresa!

Imagem de um profissional de RH relaxando enquanto a Gaia faz o trabalho operacional por ele e, ao lado, está escrito "Software de recrutamento e seleção | esqueça o excel e controle indicadores tudo em um único lugar", com um botão escrito "saiba mais"

Inscreva-se na nossa Newsletter

New call-to-action
New call-to-action
Banner do calendário do RH 2020, com um botão escrito "baixe agora"
Mauricio Carneiro | GUPY

Mauricio Carneiro | GUPY

Coordenador de Performance Marketing na Gupy. Depois de ter passado pelas áreas de computação e negócios, fez Publicidade e Propaganda na ECA USP. Se apaixonou pelo RH, enquanto atuava na área dentro da universidade, e pelo empreendedorismo, quando participou e liderou o Núcleo de Empreendedorismo da USP, por isso sabia que a Gupy era o lugar para ele.