6 tipos de dinâmica de grupo para utilizar em recrutamentos

Foi-se o tempo em que os processos seletivos precisavam ter a mesma estrutura. Agora, com profissionais cada vez mais preparados, é necessário inovar para identificar grandes talentos para a organização. Por isso, as dinâmicas de grupo estão cada vez mais presentes. Ajudam na inovação, nas tomadas de decisões e no clima do ambiente para que fique mais agradável e divertido.

No entanto, há alguns tipos de dinâmica de grupo que não fazem mais sentido, pois os candidatos já conhecem os detalhes e até descobrem como devem ser a atitude diante de um novo desafio. A saída é buscar alternativas para surpreendê-los.

Que tal fazer a diferença e deixar seu processo seletivo mais interessante? Continue a leitura deste artigo e descubra as melhores dinâmicas em grupo para aplicar em sua empresa.

1. Troca de segredos

A primeira dinâmica da nossa lista tem como objetivo observar a empatia e a confiança dos candidatos. O processo é bem simples: primeiro, reúna entre 15 e 20 pessoas. Peça para cada uma escrever um segredo ou um problema que não costuma desabafar com as outras pessoas. Sugira aos participantes uma mudança na escrita para não serem identificados. Lembre-se de pedir para dobrarem os papéis da mesma forma.

Após o sorteio, cada participante lê em voz alta o segredo como se fosse seu. Ele deve expor a opinião sobre o caso e mostrar soluções para o problema. É uma excelente oportunidade para analisar se o candidato consegue entender as dificuldades do outro. Essa característica é essencial especialmente em médias e grandes empresas, pois os colaboradores precisam lidar com muitos clientes e colegas de trabalho.

2. Dinâmica de entrosamento

O início de um processo seletivo é sempre tímido. A dinâmica de entrosamento serve para acabar com a tensão e o silêncio no local e traz um ambiente mais dinâmico e leve. Pode ser usada no momento em que os participantes apresentam o perfil. Um jeito de deixar esse tempo ainda mais divertido é optar por perguntas que exigem respostas criativas, como:

  • qual é o maior sonho do candidato;

  • a viagem mais incrível feita por ele;

  • qual a curiosidade sobre o perfil do participante;

  • uma qualidade que a pessoa tem com a letra inicial do nome.

O importante é sempre pensar em perguntas para promover a interação sem deixar os candidatos constrangidos. Caso contrário, o objetivo não será alcançado e a seleção não terá o sucesso esperado.

3. Dinâmica da amnésia

A dinâmica da amnésia tem o mesmo objetivo da quebra do gelo: fazer com que o processo seletivo integre os participantes o mais rápido possível.  Além disso, ela é bem simples, pois não é necessário usar muitos materiais.

O primeiro passo é distribuir canetas e etiquetas entre os participantes. Depois, peça para cada um escrever o nome de um personagem de TV famoso. Claro, sem mostrar aos outros candidatos. Se possível, faça duplas ou trios para deixar a dinâmica mais organizada. Em seguida, solicite aos participantes que coloquem a etiqueta na testa do colega, sem que ele o nome.

Depois, cada indivíduo deve representar a pessoa famosa cujo nome está escrito na etiqueta como se não soubesse quem é. Agora, as pessoas começam a fazer perguntas para tentar adivinhar. Para ficar mais legal, coloque na regra para usar somente o “sim” e o “não" como resposta. A dica é pedir que os candidatos imitam personagens da moda, como de séries e de filmes. Confira outros modelos de dinâmicas da amnésia.

4. Dinâmica do desafio

Esse exercício ajuda a identificar a capacidade dos participantes em lidar com a pressão. É muito simples falar na entrevista de emprego que isso não é um problema, mas precisamos ver na prática como funciona. Portanto, pegue uma pequena “caixa misteriosa".

Coloque uma música e peça aos participantes para passar o objeto entre eles. Você deve ficar de costas para o grupo. Assim, não consegue enxergar com quem está a peça. Quando a música parar, use o seu poder para colocar pressão no jogo com perguntas que deixam os candidatos apreensivos, como:

  • se ele tem certeza de que quer abrir;

  • se vai encarar o desafio;

  • que, independentemente do que tiver na caixa, ele terá de fazer;

  • e se for a eliminação no processo.

O participante deverá decidir se abre ou não a caixa. Caso ele não abra, o jogo continua. A resposta negativa ajuda a entender o quanto eles são influenciados por pressões externas e como eles agem para superá-las. O prêmio da caixa pode ser um bombom ou uma caneca da sua empresa.

5. Hora da história

Aqui, vamos dividir o grupo em equipes de 3 ou 4 integrantes. Cada um deles deverá escrever em um papel uma lista diferente de substantivos e verbos. Por meio dessa lista, eles devem criar uma história para estimular tanto a criatividade como o trabalho em equipe.

Se quiser dificultar, informe se o gênero da obra será romântico, de terror ou de comédia. Vale um alerta: os substantivos e os verbos não podem aparecer na ordem diferente em que foi colocada na folha.

6. Mural criativo

O mural criativo está entre os tipos de dinâmica de grupos preferidos, pois é uma forma diferente de colocar o grupo para pensar fora da caixa. Divida os participantes em time, o ideal seria 4 em cada um. Os materiais recomendados para essa atividade são:  

  • cartolina;

  • canetas;

  • tinta;

  • recortes de revista ou jornal.

Depois, escolha um tema para cada grupo apresentar de forma criativa e lúdica, com linguagem acessível e beleza estética. Ao fim, todos devem discutir qual mural representou o tema de forma mais criativa. Algumas opções de assuntos são tecnologia, meio ambiente, educação, esportes, entre outros. Evite discussões polêmicas para não causar um clima chato no processo seletivo.

Você percebeu como o processo pode ser mais simples do que parece ao adotar tipos de dinâmica de grupo diferentes? Não é necessário seguir o mesmo formato. Mas, sem inovação, os resultados serão sempre parecidos e pode haver consequências ruins, como o turnover e a baixa qualidade da equipe.

Gostou deste post? Então, fique por aqui e veja por que é necessário ficar atento ao mercado de RH, pois algumas tendências e tecnologias podem ajudar a tomar decisões mais assertivas.

New Call-to-action

Inscreva-se na nossa Newsletter

HR4results: Participe do maior evento de inovação no RH
New call-to-action
Diagnóstico de recrutamento e seleção: Descubra e melhores a maturidade dos seus processos
Painel de Indicadores de Recrutamento e Seleção Planilha Custo do Recrutamento e Seleção
Guilherme Dias | GUPY

Guilherme Dias | GUPY

Atua com Marketing e Growth sendo CMO & Co-founder na Gupy. Através de uma consultoria de business em que foi sócio, descobriu que adora otimizar processos, redesenhar soluções de gestão e trazer resultados mais agressivos para negócios. É curioso e apaixonado por Recursos Humanos, séries e gastronomia.