Como capacitar gestores para fazer processos seletivos?


5 minutos de leitura

O envolvimento dos gestores com os processos seletivos é um grande desafio para a corporação.

Por conta de suas inúmeras tarefas e de seu desconhecimento sobre a relevância de participarem dessa etapa, eles acabam ficando de fora.

Contudo, é muito benéfico que os gestores participem, pois eles conhecem bem o perfil de seu time e as qualificações necessárias. Por isso, é indispensável que a organização saiba como capacitar gestores para fazer processos seletivos estratégicos e obter grandes talentos.

Pensando nisso, vamos expor as etapas de qualificar os gestores para que eles façam processos seletivos de qualidade e conquistem profissionais de alta performance. Siga a leitura e confira!

1. Conhecimento sistêmico

O primeiro passo que você deve tomar a fim de capacitar gestores para fazer processos seletivos é promover a eles o conhecimento sistêmico.

Logo, a pessoa gestoa precisa ser tratada como um cliente interno e ser levada a conhecer muito bem:

  • a cultura da organização;
  • sua missão, visão e valores;
  • seus pontos fortes e de melhoria;
  • o perfil profissional almejado para cada setor da empresa;
  • o nível de especialização necessária para ocupar cada cargo;
  • conhecer a si mesma e qual o tipo de membro ela deseja em sua equipe.

Dessa forma, será mais fácil promover descrições de cargo e etapas de seleção mais assertivas. Afinal, o gestor terá ciência do perfil desejado e de como testar cada candidato com o intuito de avaliar se ele seria uma boa escolha para participar do quadro de pessoal da companhia.

Veja 33 modelos e otimize suas descrições de cargos com nosso e-book:

Banner do ebook gratuito "Descrição de cargo: o arsenal completo com 33 modelos para você ganhar a guerra de talentos", com um botão escrito "baixe agora"

Além disso, promovendo o autoconhecimento, o gestor terá mais confiança para conduzir sua equipe. Conhecendo suas limitações e seus pontos fortes, pode promover um time companheiro, ético e de qualidade.

Até porque, quando o colaborador observa que seu líder é capaz de reconhecer suas fraquezas e buscar a melhoria contínua, bem como ser compreensivo e prestativo com sua equipe, ocorre maior engajamento e apreço pela atuação.

2. Desenvolvimento do gestor

Após o conhecimento sistêmico, o segundo passo a fim de saber como capacitar gestores para fazer processos seletivos é promover o desenvolvimento do gestor.

Afinal, o processo de seleção demanda de uma base teórica e prática que, em muitos casos, é desconhecida para quem nunca fez parte de um time que executa essa tarefa.

Logo, o gestor deve passar por treinamentos que o ajudarão a identificar quais são as avaliações ideais a serem aplicadas em cada momento do processo seletivo e de acordo com cada característica que ele deseja avaliar.

Além disso, é necessário entender como elaborar entrevistas autênticas, dinâmicas assertivas e, por fim, aplicação de feedbacks justos e comprometidos com o bem do candidato, mesmo quando se tratar de um resultado desfavorável a ele.

Desse modo, o gestor estará bem preparado para conseguir utilizar todo o seu conhecimento sobre a empresa e sobre si mesmo, atrelado a técnicas de recrutamento que explicitam o perfil do profissional e facilitam na escolha sábia e consciente.

Quer aprender a escolher as perguntas junto com seu gestor? Baixe o e-book e juntos, sejam mais assertivos no processo:

Banner do ebook "Como escolher as melhores perguntas para entrevistas de candidatos", com um botão escrito "baixe agora"

3. Execução do que foi aprendido

Após desenvolver o conhecimento e o planejamento estratégico para fazer processos seletivos de qualidade, é necessário colocar em prática o que foi aprendido.

Logo, dê chance aos gestores de conduzirem um processo seletivo, tire suas dúvidas, acompanhe todo o processo e analise a conduta do gestor com os candidatos e com cada etapa.

Desse modo, é possível identificar os pontos fortes e os pontos de melhoria do gestor, observar seu modo de avaliação, seus princípios no momento de tomar uma decisão, seu nível de empatia ao aplicar o feedback negativo e positivo, dentre inúmeras questões que são extremamente relevantes ao bom andamento dos processos seletivos.

Lembre-se que o gestor deve:

  • ser bom observador;
  • se conhecer muito bem;
  • ser capaz de se colocar no lugar dos outros;
  • dar a chance da dúvida ao candidato;
  • avaliar de diversos ângulos;
  • deixar de lado suas concepções individuais;
  • focar nas necessidades da vaga e do setor em questão e ser resiliente.

Dessa forma,é viável a promoção da melhoria contínua, na qual os gestores vão se conhecendo e se desenvolvendo cada vez mais, tomando ciência de suas limitações e se empenhando para se tornarem condutores de processos seletivos cada vez melhores. Afinal, o sucesso das admissões representa o sucesso da própria empresa.

4. Análise e feedback dos resultados

Por fim, após observar como se saíram na prática, é necessário realizar a análise e o feedback dos resultados.

Essa etapa é mais longa, pois ela vai se inciar com a observação sobre as etapas do processo seletivo, com as inúmeras questões que foram expostas no item anterior e que fazem toda a diferença para o bom andamento dessa tarefa.

Assim, a primeira etapa serve para você analisar o que deu certo e errado no processo seletivo realizado, se é preciso aprimorar alguma etapa, se algo que havia sido planejado foi esquecido ou ignorado e se o gestor foi capaz de se manter firme, compreensivo e focado durante o processo.

a segunda fase das avaliações é a análise dos profissionais que foram contratados. Isso significa que a eficácia do trabalho dos gestores será apresentada pelo desempenho dos colaboradores que eles escolheram para integrar o quadro de pessoal da empresa.

Logo, é preciso verificar se o novo colaborador de fato tem as especificações almejadas, se é compatível com o perfil da equipe, se seu onboarding foi pacífico ou complexo, dentre inúmeras questões que definem se o indivíduo é ideal para atuar na corporação e no setor em questão.

Conclusão

Como você viu, não é uma tarefa complexa aprender como capacitar gestores para fazer processos seletivos: basta ter disciplina e promover a oportunidade de aprender as teorias e práticas desses processos.

Vale à pena ressaltar que é de suma importância envolver os gestores sempre para que haja maior enriquecimento e assertividade nas contratações. Deste modo, é possível aprimorar cada vez mais o recrutamento e efetuar admissões estratégicas, que tornarão a empresa cada vez mais competitiva e os profissionais extremamente engajados e comprometidos com o sucesso da corporação e com sua própria ascensão.

E então, nosso artigo gerou valor pra você? Que talreceber mais conteúdos como esse em primeira mão? Siga a Gupy no Facebook e LinkedIn!

New call-to-action
Vamos juntos tranformar o RH da sua empresa?

Contrate a pessoa certa, sempre.

Os seus critérios de seleção, aplicados de maneira inteligente e rápida com a Gupy - o software de Recrutamento e Seleção favorito das grandes empresas do Brasil.

Solicitar demonstração →