Como foi a revolução da Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção

Você, como qualquer funcionário da área, sabe como o RH sofre com a falta de tempo, devido à quantidade de trabalho operacional e o custo que isso tem, certo?

Esses são os maiores motivos que levam empresas a buscarem novas formas de gerenciar seus processos de contratação.

Por isso, trouxemos uma solução que pode ajudar sua empresa: a inserção da inteligência artificial no recrutamento e seleção.

Neste artigo, você vai entender:

  • a jornada dos processos seletivos ao longo do tempo;
  • o que é Inteligência Artificial;
  • A diferença entra I.A, machine learning e deep learning;
  • os diversos benefícios e aplicações que essa tecnologia traz para os processos de recrutamento;
  • O futuro das práticas de R&S com a inteligência artificial: para onde estamos caminhando?

Quer saber um pouco mais desses softwares e como eles vêm revolucionando os setores de RH? Continue lendo e descubra!

Introdução

A I.A. faz com que haja uma evolução nos métodos operacionais, possibilitando que profissionais competentes possam buscar vagas de acordo com o seu perfil e que as organizações tenham maiores taxas de retenção desses talentos.

As plataformas especializadas no processo seletivo nasceram com o objetivo de trazer maior aproveitamento para esses procedimentos, tornando os RHs mais estratégicos, ágeis e eficientes, pois conectar gestores com os melhores candidatos é sua a função.

Dessa forma, é possível reduzir significativamente o trabalho operacional e a chance de erros na triagem dos candidatos.

Será necessário analisar apenas uma pequena amostra dos diversos currículos que foram recebidos, que conterá os candidatos com maior potencial e afinidade com a vaga. 

Mas como tudo isso acontece na prática? Vamos desdobrar o I.A.

O que é inteligência artificial?

A inteligência artificial pode ser definida como uma ferramenta que viabiliza e facilita a tomada de decisões por meio do uso de dados. Trata-se da capacidade de máquinas pensarem como seres humanos, raciocinando e decidindo de maneira ordenada.

Seu uso já está presente no nosso cotidiano e não a percebemos, como por exemplo: em softwares de processamento de voz e de reconhecimento de imagens, e no preenchimento automático do campo de buscas do Google.

Diferença entre machine learning, inteligencia artificial e Deep learning: é tudo a mesma coisa?

Machine Learning (ML) e Deep Learning (DL) são ambas área da inteligência artificial, conforme podemos ver abaixo.

Imagem explicando a diferença entre inteligência artificial, machine learning e deep learning, dentro do contexto da Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção. I.A: Qualquer técnica que permite computadores imitarem o comportamento humano. ML:  Subárea da Inteligência Artificial que usa métodos estatísticos para ensinar máquinas a aprenderem com a experiência. DL: Subárea do Machine Learning focada no uso de redes neurais para o aprendizado.

Algoritmos de ML e DL não são uns melhores que o outro. O que fica melhor depende do problema a ser resolvido e do volume de dados disponíveis.

As fases do processo seletivo

A tecnologia vem ocupando cada vez mais espaço no dia a dia da sociedade. E o RH não poderia ficar de fora dessa evolução.

O processo seletivo é um momento decisivo para toda e qualquer empresa. E é fundamental que a eficiência esteja presente em todas as suas etapas.

Veja, abaixo, um resumo da jornada desse procedimento dentro das organizações.

Como era a seleção

Um anúncio no jornal (geralmente no domingo). No outro dia, filas enormes de candidatos nas portas da empresa ou uma enxurrada de currículos durante o expediente.

Demorava-se semanas e até meses para que a vaga fosse preenchida.

Porém, com o mercado de trabalho ficando cada vez mais competitivo, tanto quem disponibiliza uma vaga quanto quem concorre a ela, não quer (e não pode) mais esperar tanto tempo para finalizar a seleção.

Sendo assim, aquele processo burocrático, demorado e totalmente passível de falhas, no qual se perdia tempo com a análise manual de um grande volume de currículos e o uso de infindáveis planilhas do excel, perde lugar para uma nova era: A era da seleção automática.

Como está o recrutamento

Ser preciso nos processos de admissão de novos colaboradores é essencial. Isso gera uma maior eficiência na empresa como um todo.

Imagem de placa onde há escrito "estamos contratando", dentro do contexto da Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção

A IA chega trazendo a padronização nos processos seletivos e mais objetividade na avaliação de habilidades e capacidades dos candidatos.

Um único software disponibiliza métricas, dados, indicadores e muito mais; e isso tudo em tempo real.

Agora, além de divulgar as vagas por meio da internet, os programas criam um banco de cadastros com os currículos enviados, facilitando, desse modo, a busca por candidatos a cada novo cargo disponibilizado.

Há também a possibilidade do contratante imputar novas informações na plataforma, criando um programa de recrutamento para cada perfil desejado. Assim, gera-se um modelo de contratação estruturado, com mais precisão no processo.

Acabamos tendo mais qualidade ao se ranquear os candidatos de forma mais criteriosa, reduzindo o trabalho operacional e aumentando o engajamento dos candidatos.

O futuro do recrutamento e seleção

Um estudo da HR Transformation Survey, publicado em 2016 pela KPMG, revela que a aposta da gestão de pessoas será cada vez maior em armazenamento de dados em nuvens.

Muitos entrevistados creem que a tecnologia cloud os auxiliará a revolucionar o RH nos próximos anos.

Com a utilização do Big Data, processos transacionais e atividades serão automatizados, proporcionando decisões mais inteligentes por meio de dados e análises.

Essa será uma grande contribuição para a estratégia de negócio das corporações.

A sensação de pertencimento dos colaboradores em relação às empresas virá a partir do preparo para o uso de novas tecnologias, como aplicativos de recrutamento digital, treinamentos online por meio de plataformas interativas, uso de games para a capacitação de pessoal etc.

Outros desdobramentos interessantes do A.I no papel dos recrutadores no futuro, segundo matéria da Forbes:

  •  O agendamento de entrevistas será um processo automatizado e o processamento de linguagem natural permitirá uma experiência de candidato mais responsiva.
  • Mais empresas usarão a AI para escanear currículos, agendar entrevistas e enviar e-mails, melhorando ainda mais a experiência do candidato ao tornar as interações iniciais mais personalizadas.  Estabelece assim uma base para entrevistas genuínas e relevantes;
  • A Inteligência vai ser cada vez mais capaz de nos contar sobre nossos futuros funcionários - onde eles têm mais energia, como eles prosperam e seus desafios, criando uma definição de perfil mais completa e complexa;
  • O advento do software de reconhecimento facial será capaz de registrar e determinar a emoção das expressões faciais, gerando insights para as entrevistas de triagem;
  • O papel do recrutador será mais interdisciplinar, alinhada com a estratégia de negócios e construção de relacionamento consultivo com gestores do negócio.

Benefícios das novas tecnologias

Uma das maiores vantagens da inteligência artificial no recrutamento e seleção é a eliminação do fator “opinião pessoal do recrutador” (ou achismos, adivinhações e preconceitos) nas contratações. 

Outro benefício é capacidade de lidar com grande quantidade de currículos de forma objetiva e eficiente. Mas não é só isso. 

Seleção mais eficaz por meio da democracia

"O algoritmo que sugere os candidatos é muito assertivo e foi fundamental para identificarmos dentre 7.000 candidatos quem eram os 100 melhores. Além disso, o valor é muito competitivo e a proposta como um todo nos ajudou a construir um programa de trainee excepcional." 
– Gianpiero Sperati | Head de Gente e Gestão da Pearson

Há uma democratização no processo, pois a avaliação é baseada não somente em intuição do recrutador e tempo de experiência, mas em dados, probabilidades, habilidades e competências ao invés de características pessoais dos candidatos  

Evita, portanto, processos enviesados e inclui minorias, mulheres e afrodescendentes.

Redução de custos e Turnover... 

Você já constata a economia ao anunciar as oportunidades de emprego em redes sociais, em plataformas e sites de recrutamento parceiros, diminuindo os gastos com impressão de currículos e ao contatar os profissionais selecionados por meio da própria plataforma, e-mails, Skype ou SMS.

Já o turnover, realidade para muitas corporações, também acaba sendo reduzido. Quem trabalha com RH sabe: os custos com esse fenômeno são gigantes. Afinal, investe-se tempo e dinheiro na seleção, nos treinamentos, nas demissões e nas novas contratações a serem feitas.

Isso  fica muito menor quando a inteligência artificial entra em campo, já que ela traz uma solução para resolver essa questão ao selecionar os candidatos mais próximos ao perfil desejado e à cultura organizacional.

...e também redução de tempo.

Como o computador é capaz de fazer mais correlações simultâneas que o cérebro humano, aumenta a velocidade e a chance de encontrar talentos no meio de um mundo de currículos.

Isso impacta diretamente na redução da carga operacional e no tempo necessário para fechar uma vaga, devido ao fato de acelerar o processo de encontrar os candidatos mais promissores. Também evita perder bons candidatos que poderiam desistir da vaga em um processo muito longo.

Maior engajamento do candidato 

A experiência do candidato também acaba melhorando. Isso porque os maiores problemas da falta deste engajamento acabam acontecendo porque o processo:
- Geralmente é muito longo;
- Não tem nenhum email de confirmação de candidatura;
- dificulta uma maior interação dentre recrutador e candidato.

Com a I.A, os recrutadores podem chegar aos candidatos com muito mais rapidez, quer eles queiram movê-los para o próximo estágio ou rejeitá-los.

Com a classificação mais ágil das candidaturas, o feedback fica muito mais fácil de ser realizado,  possibilitando um melhor envolvimento entre ambos.

Isso tudo sem contar com outros benefícios, como:

  • Aumento da performance do profissional do RH;
  • Maior fit cultural;
  • Custo efetivo da contratação otimizado.

 Quer ainda mais vantagens para o seu RH? Baixe a planilha de indicadores e construa um recrutamento mais estratégico!

Painel de indicadores de recrutamento e seleção

Aplicações da inteligência artificial no recrutamento e seleção

A inserção da tecnologia nos processos de recrutamento e seleção tem diversas aplicações e trazer grandes facilidades ao envolvidos. Sabe aquela etapa exaustiva e lenta de analisar os currículos um a um e separar os melhores?

Com a IA esse estágio deixa de existir no campo real e passa a ser feito totalmente no mundo virtual.

Um software especializado faz avaliação automática dos currículos, selecionando os que mais atendem às exigências das vagas.

Além disso, o sistema faz a aplicação online de testes de habilidades, determinando quais são as perguntas mais adequadas para que se conheça mais a fundo cada candidato.

Aplicações de testes de competência e perfil de comportamento também podem ser feitas por meio da IA.  Dessa maneira, há a garantia de que somente os profissionais mais indicados para determinado cargo cheguem ao final do processo, a entrevista pessoal.

O algoritmo da Gupy vai te ajudar assim:

Imagem de recrutamento e seleção gupy, representando Como a Inteligência Artificial revolucionou o recrutamento e seleçãoMuitas vezes, achar os melhores candidatos entre centenas de
currículos pode ser como procurar uma agulha no palheiro. Gasta tempo e recursos e não há garantias de que nada passou batido.

 

Imagem de recrutamento e seleção gupy, representando Como a Inteligência Artificial revolucionou o recrutamento e seleção

Ao passar pelo algoritmo da Gupy,  organizamos os candidatos de forma que os mais promissores irão se destacar no ranking.

Você não precisa mais procurar agulhas em palheiros, apenas analisar mais a fundo um pequeno grupo de candidatos com potencial e mais afinidade com sua vaga.

 

Imagem de recrutamento e seleção gupy, representando Como a Inteligência Artificial revolucionou o recrutamento e seleção

Com isso, você tem menor quantidade e maior qualidade nos candidatos chamados para as entrevistas.

Tudo isso é feito com base em análises de mais de 100 características que são extraídas do candidato, da vaga e da empresa.

Seus dados históricos também são analisados, deixa o algoritmo cada vez mais alinhado com seus objetivos. Ele aprende com seu próprio comportamento e usa isso para agilizar o seu trabalho.

Confira o que o programa Olhar Digital tem a dizer sobre Inteligência Artificial no recrutamento e seleção:

A importância das pessoas no processo

Mesmo com a chegada da tecnologia no setor, o fator humano ainda é imprescindível nos RHs. Agora, novos desafios se colocam diante dos gestores.

Parte das características importantes de um bom candidato estão ligadas com habilidade mensuráveis e coisas que estão descritas no currículo, como formação, experiência, resultado de teste etc.

Nosso algoritmo foca em entender o padrão procurado pela empresa dentre essas características mensuráveis e identificar, de forma automatizada, os currículos mais promissores. É um espécie de filtro que ordena baseado no que a empresa procura.

Porém, uma parte das características de um candidato são subjetivas e não estão escritas no currículo- as chamadas soft skills- que precisam ser avaliadas através de interação entre recrutador e candidato.

Assim, o olho no olho nunca será abandonado. O objetivo aqui é poupar tempo e levar apenas pessoas talentosas para que tenham suas soft skills analisadas pelos recrutadores.

Ou seja, queremos menor quantidade e maior qualidade nos candidatos chamados para as entrevistas.

Com os processos de recrutamento e seleção sendo feitos por softwares de R&S, haverá uma maior disponibilidade de tempo para que os profissionais do RH trabalhem na construção dos relacionamentos dentro das empresas.

Eles poderão elaborar e reafirmar a cultura organizacional de forma eficaz. Afinal, a inteligência emocional ainda é peça chave para lidar com o ser humano, seu comportamento e suas complexidades.

Conclusão

Que a tecnologia está avançando e ocupando cada vez mais espaço no nosso cotidiano, não é novidade.

Ela está presente desde a hora em que o celular desperta para nos acordar e permeia o resto do nosso dia, seja em casa, na rua ou no trabalho.

Os desafios colocados diante do RH no mundo contemporâneo exigem readaptações constantes. Os modelos antigos de gestão não darão conta de atender as demandas que surgem. Por isso, os gestores falam cada vez mais em um pensamento disruptivo.

Um recrutador virtual chega com a proposta de um processo seletivo mais seguro e transparente. Rompe, assim, com métodos inconstantes e trabalhosos e indo de encontro à modernidade.

Gostou deste post? Então, curta nossa página no Facebook e acompanhe as melhores novidades sobre inteligência artificial no recrutamento e seleção e muito mais!

New call-to-action

Inscreva-se na nossa Newsletter

Ebook: Como escolher as melhores perguntas para entrevistas de Candidatos
Painel de Indicadores de Recrutamento e Seleção Planilha Custo do Recrutamento e Seleção
Carlos Baia | GUPY

Carlos Baia | GUPY

Formado em Engenharia da Computação pela UBM e pós-graduado em Engenharia Mecatrônica pela UFRJ, Carlos é Cientista de Dados Líder na GUPY e tem 10 anos de experiência no desenvolvimento de softwares. É apaixonado por Inteligência Artificial e Machine learning e quer trazer a transformação digital aos RHs.