5 dicas para otimizar processo seletivo para vagas operacionais


5 minutos de leitura

Um dos pilares de qualquer organização é o processo seletivo para vagas operacionais. Afinal, são os profissionais que ocupam as funções que movimentam as engrenagens da empresa que determinam o ritmo em que ela caminhará no mercado, isto é, a sua capacidade de competir e atuar em meio aos cenários mais complexos.

Para isso, é fundamental que a seleção de candidatos seja bem estruturada, tenha os objetivos definidos com clareza e ocorra de forma estratégica. Afinal, quanto mais elaborado for o recrutamento, menores as chances de que pessoas que não têm o perfil do negócio sejam contratadas, e isso evita desperdício de tempo e recursos do RH.

Preparamos este conteúdo para que você conheça 5 boas práticas para otimizar o processo seletivo para vagas operacionais em sua empresa. Continue a leitura para saber como estruturar a seleção da melhor maneira possível!

1. Defina as vagas

Como já deveria imaginar, o primeiro passo para um bom processo seletivo para vagas operacionais é começar definindo corretamente os detalhes das vagas disponíveis na empresa. Características relevantes devem ser descritas de forma detalhada, tais como:

  • experiências que o profissional deve ter;
  • formações necessárias;
  • atribuições do cargo;
  • salário e benefícios;
  • personalidade (inteligência emocional) almejada.

Entre outros aspectos cruciais para que, já nessa etapa, seja feita uma triagem e apenas quem realmente tem o perfil das vagas se candidate. Isso poupará tempo, energia e recursos da organização nas etapas seguintes (seleção, recrutamento, treinamento etc).

2. Trace o perfil desejado

Nos últimos anos, tem se tornado cada vez mais comum nos depararmos com empresas que se queixam a respeito do perfil comportamental que os profissionais das novas gerações têm no ambiente de trabalho. No entanto, o erro está no processo seletivo para vagas operacionais, e não nos candidatos de uma maneira geral.

Para evitar problemas futuros, como a incompatibilidade com as expectativas da organização em relação ao que os novos funcionários desejam para a sua carreira, é muito importante que, ainda nas fases iniciais de recrutamento, a empresa saiba traçar o perfil desejado.

Isso significa que não basta definir somente as habilidades técnicas e competências profissionais que o cargo exige. É preciso também estabelecer de forma estratégica quais são as qualidades temperamentais que a função necessita para encarar os desafios cotidianos, como:

  • proatividade;
  • espírito de liderança;
  • visão de empreendedorismo;
  • capacidade de trabalhar em equipe;
  • versatilidade, profissionalismo e ética.

Isso porque quando se fala em inteligência emocional, por exemplo, as habilidades comportamentais são aquelas que determinam se o profissional será capaz de lidar com as imprevisibilidades que ocorrem em qualquer setor do mercado, sem que o seu rendimento seja comprometido, o que impactará diretamente em sua produtividade nos projetos.

New call-to-action

3. Prepare entrevistas diretas

As primeiras etapas do processo seletivo para vagas operacionais consistem em atrair um determinado grupo de candidatos que tenham o perfil mais próximo do que a empresa procura. Porém, isso não descarta a necessidade de entrevistar individualmente cada profissional que deseja integrar a equipe.

Note que a palavra-chave é "seletivo", o que significa que, à medida que o processo avança, deve ocorrer um afunilamento. Assim, as chances de que apenas os candidatos que realmente têm o perfil das vagas sejam contratados são muito maiores. Portanto, é fundamental que as entrevistas diretas sejam preparadas com antecedência e consistam em procedimentos e perguntas acertadas.

Nesse momento, o departamento de Recursos Humanos deve deixar de lado questões pessoais, como o signo, os hobbies ou o que faz no tempo livre a pessoa que está se candidatando, pois só geram perda de tempo para ambas as partes. É preciso focar no que realmente importa: a capacidade do profissional atender às expectativas da organização.

4. Use tecnologia como aliada

Na era da transformação digital, empresas que ainda não entenderam a importância de ter a tecnologia como uma aliada em seu cotidiano tendem a perder posição competitiva no mercado, visto que todos os seus concorrentes de peso já estão usufruindo dos benefícios da automação.

Hoje em dia, podemos contar com softwares capazes de otimizar o processo seletivo para vagas operacionais. Diversas etapas podem ter o seu desempenho melhorado, como:

  • divulgação dos cargos disponíveis;
  • recebimento de currículos;
  • envio de feedbacks a respeito do andamento da seleção;
  • agendamento de entrevistas;
  • notificações sobre dinâmicas.

Entre tantas outras questões altamente relevantes para que o recrutamento ocorra da melhor maneira possível.

A informatização não apenas facilita a triagem de currículos, como também permite aos gestores do RH criarem os filtros adequados para que os melhores candidatos sejam encontrados, isto é, aqueles que têm o perfil das vagas.

5. Elabore um cronograma

Por fim, mas não menos importante, é preciso elaborar um cronograma que abranja todas as etapas do processo seletivo para vagas operacionais, pois isso facilita o trabalho do departamento de Recursos Humanos e pode ser um fator determinante para o sucesso.

Sendo assim, todas as fases devem ser definidas com antecedência ao lançamento das vagas no mercado. Isso evita que o RH precise "improvisar" diante de imprevisibilidades, como a desistência de profissionais no meio do processo.

Portanto, as datas dos alinhamentos internos, as reuniões com os gestores, as dinâmicas de recrutamento e tudo mais que envolva a seleção dos profissionais deve integrar o cronograma do processo seletivo.

Lembrando que um dos motivos pelos quais esse cronograma deve ser estruturado corretamente é o fato de que os candidatos devem ser informados a respeito da duração de todo o processo já fase da inscrição. O que queremos dizer é que o profissional precisa saber se levará 30, 40, 50 dias ou mais até que ele seja definitivamente efetuado na organização. A falta de transparência das empresas é um dos motivos pelos quais o índice de turnover é tão alto.

Por fim, antes de concluirmos este conteúdo, vale destacar que existem diversos benefícios em otimizar o processo seletivo para vagas operacionais como o aumento da agilidade que impacta a operação como um todo. Além disso, a qualidade dos profissionais selecionados é muito superior, já que existem chances maiores de que a empresa encontre o candidato ideal para as suas necessidades.

Gostou deste post sobre como fazer um processo seletivo para vagas operacionais com eficiência? Então que tal nos seguir nas redes sociais para acompanhar todos os nossos conteúdos informativos e novidades sobre o mercado? Estamos no Facebook, no YouTube, no LinkedIn e no Instagram!

Checklist - 6 passos para reduzir o tempo de contratação
Vamos juntos tranformar o RH da sua empresa?

Contrate a pessoa certa, sempre.

Os seus critérios de seleção, aplicados de maneira inteligente e rápida com a Gupy - o software de Recrutamento e Seleção favorito das grandes empresas do Brasil.

Solicitar demonstração →