5 motivos que farão você optar por um sistema de recrutamento e seleção

Você precisa de um novo sistema de recrutamento e seleção? O processo seletivo digital já é uma realidade e sua empresa pode - e deve -  se beneficiar desse avanço tecnológico. 

Com um sistema otimizado e criado especialmente para o recrutamento inteligente, você consegue centralizar os processos, digitalizar as vagas, alcançar mais candidatos, engajar gestores e ganhar tempo e eficiência. 

Quer mais motivos para implementar a tecnologia de inteligência artificial na triagem e seleção de candidatos? Então, continue a leitura! Ao longo do texto, você vai saber sobre:

  • Recebimento de candidatos mais qualificados;
  • Otimização do tempo de contratação;
  • Potencialização da produtividade da equipe de recrutamento e seleção;
  • Inclusão de gestores no processo;
  • Posicionamento do RH como área estratégica.

Não perca mais tempo e conheça 5 razões para contratar um novo sistema de recrutamento e seleção ainda hoje!

1. Você não está recebendo candidatos qualificados

O Brasil de hoje tem um cenário desafiador: Ao mesmo tempo em que temos um desemprego elevado (de acordo com pesquisa do IBGE, ele está em 11,6% atualmente), faltam candidatos qualificados para preencher as vagas, resultando em empresas com postos de trabalho em aberto.

Isso não tem acontecido sem motivo. Como o volume de candidatos é muito alto graças ao desemprego, o processo de triagem sofre para atingir as pessoas certas.

O resultado acaba sendo desastroso: os bons currículos são perdidos no meio de tantos profissionais em busca de uma colocação.

Além disso, é difícil acompanhar a qualificação das pessoas com tantos meios de recebimento de currículos, como job boards ou portais de vagas e redes sociais.

Como essa triagem é feita manualmente, sempre corremos o risco de deixar algo passar despercebido.

Por isso, é preciso investir em um processo mais prático. Você deve centralizar as informações de recrutamento e fazer uma triagem automatizada. Assim, o próprio software é capaz de apontar quais são os candidatos mais qualificados para o cargo anunciado.

2. O tempo de contratação é muito longo

A Glassdoor (versão norte-americana do Love Mondays) fez uma pesquisa sobre o tempo médio de recrutamento e seleção em 25 países ao redor do mundo. O resultado foi assustador para o mercado brasileiro.

De acordo com a empresa, o tempo médio entre o anúncio de uma vaga e a contratação de um candidato, aqui em nosso país, é de 39,6 dias. As causas disso são as mais variadas possíveis:

  • candidatos com baixa capacitação;
  • processos pouco estruturados de recrutamento e seleção;
  • mal uso das redes sociais;
  • falta de integração entre bancos de currículos.

Toda essa demora é improdutiva e pode gerar grandes danos à empresa. Por isso, é importante pensar em saídas e otimizar, ao máximo, a seleção de candidatos.

Um sistema de recrutamento, por exemplo, ajuda a aumentar o alcance das vagas, entregando informações para que os candidatos se engajem e participem do processo seletivo.

3. A produtividade do time de recrutamento e seleção está baixa

A morosidade no processo seletivo, bem como a dificuldade de encontrar pessoas qualificadas, mostra como a área de recrutamento e seleção está enfrentando dificuldades para se manter produtiva.

Normalmente, a equipe fica muito focada em processos operacionais, como atualização de planilhas, criação de anúncio de vagas, leitura de currículos e envio de e-mails.

Em função disso, o tempo destinado a processos mais estratégicos, como entrevistas e dinâmicas de grupo, é menor. Assim, você e seus colegas de trabalho perdem a chance de avaliar os melhores candidatos com mais cuidado, ou de integrar os gestores ao processo seletivo.

Para superar esse desafio, a empresa pode digitalizar suas vagas. Desse modo, a triagem dos candidatos acontece em etapas flexíveis, com testes de perfil online completamente automatizados. Como resultado, sobra mais tempo para que a equipe se dedique aos processos estratégicos do setor.

4. Gestores e recrutadores não aderiram ao seu sistema

Por mais importante que seja a área de gestão de gente, nós sabemos que ela ainda não recebe o reconhecimento que deveria. Então, é preciso trabalhar duro e mostrar resultado, assegurando o empoderamento do setor.

Para isso, toda a equipe deve se posicionar de forma estratégica, entendendo como deve ser o relacionamento com os diferentes sócios, diretores, gestores e colaboradores.

Mas não é possível fazer isso com uma entrega desorganizada. Raramente algum gestor vai ser receptivo a planilhas de seleção com dezenas de informações sobre candidatos. Eles querem informações mais precisas, diretas e de fácil consulta.

Se sua equipe tentar uma abordagem diferente, usando um sistema para intermediar essa relação, tudo fica mais simples. Além do software compilar os dados de forma dinâmica e objetiva, também possibilita dar liberdade ao gestor para que ele consulte as informações pelo computador ou celular.

Assim, a inclusão desses profissionais no processo de recrutamento e seleção tende a aumentar. Eles, então, poderão contribuir dando insights e especificando as competências mais importantes que seu futuro liderado deve apresentar.

5. O RH ainda não se posicionou como uma área estratégica

Como falamos, um dos maiores desafios do RH é mostrar seu valor para a empresa. Só que isso não é alcançado apenas com o cumprimento das atividades diárias. Muito pelo contrário, o setor precisa trabalhar da mesma forma que as demais áreas, buscando resultados e aprimorando os processos internos, alcançando um RH estratégico.

Quer aprender a construir um setor estratégico? Então baixe a Enciclopédia mais completa da atualidade!

Material - Enciclopédia do RH estratégico

Para isso, você deve mapear as atividades, criar mapeamento de processos, definir regras de execução e acabar com os gargalos produtivos. Essas medidas melhoram o aproveitamento do tempo no setor e permitem que sua equipe se direcione para atividades estratégicas.

Além disso, o RH deve ser um setor que serve de suporte para os gestores, ajudando-os a lidar com seus liderados. A gestão comportamental, por exemplo, é uma excelente forma de fazer isso. Em vez de aplicar uma medida genérica, essa forma de trabalho propõe que criemos ações direcionadas para cada perfil de colaborador.

Além disso, podemos traduzir essas informações em estatísticas, dando mais poder ao RH. Assim, durante as reuniões, sua equipe poderá embasar os argumentos usados, aumentando o engajamento e a participação dos gestores.

Entretanto, isso só é possível se sua empresa automatizar alguns processos e criar um banco de dados com informações sobre cada colaborador.

Como você pôde ver, investir em um novo sistema de recrutamento e seleção é o primeiro passo para aumentar o impacto do RH dentro da organização. Com uma ferramenta responsiva, você e sua equipe ganham mais controle sobre os processos internos e podem estruturar ações de maneira mais eficaz.

Se você gostou deste texto e quer continuar tendo acesso a informações como essas, assine nossa newsletter! Por ela você recebe conteúdos e dicas diretamente em seu e-mail.

Imagem que mostra o robô da Gupy construindo um gráfico de resultados para uma pessoa. Possui o texto: 'Software de Recrutamento e Seleção: Esqueça o Excel e controle indicadores, tudo em um único lugar' com botão de 'Saiba mais'

Inscreva-se na nossa Newsletter

New call-to-action
New call-to-action
Diagnóstico de recrutamento e seleção: Descubra e melhores a maturidade dos seus processos
Bruna Guimarães | GUPY

Bruna Guimarães | GUPY

Formada em Administração de Empresas pela UFRRJ e com MBA executivo pela Coppead UFRJ, é COO & Co-founder da GUPY. Bruna é especialista em recrutamento e seleção e entende com profundidade as dores dessa área. Construiu sua carreira em uma grande multinacional onde era responsável pelo recrutamento de toda a organização através da sua paixão por RH, pessoas e foco em resultado.