Você já ouviu falar em offboarding? Entenda!

Tratar um funcionário com dignidade é o mínimo esperado de qualquer empresa que almeja o sucesso.

Nesse sentido, a satisfação do colaborador influencia diretamente não apenas seu rendimento, mas também a imagem externa da companhia. Afinal, quem gostaria de trabalhar ou fazer negócios com uma marca que é notoriamente conhecida por más condições de trabalho?

Por isso, é necessário dar bastante atenção à forma como a gestão de pessoas é conduzida.

Esse processo vai desde a entrada do colaborador na companhia, passa por suas condições gerais de trabalho e chega ao seu momento de saída da empresa. É justamente nessa última parte que vamos focar este texto.

Assim sendo, em linhas gerais, o offboarding diz respeito ao processo de desligamento do funcionário.

Ao longo do artigo, vamos expor seu conceito, mostrar sua importância dentro de uma empresa e nos aprofundar em algumas técnicas de aplicação. Então, continue a leitura e saiba mais!


Leia também:

Imagem da mascote gaia, sobre onboarding


O que é offboarding?

"Antes de desembarcar, observe o espaço entre o trem e a plataforma." Frases do tipo são muito utilizadas para orientar o desembarque de passageiros em transportes públicos.

Ao contrário do onboarding, o offboarding, que pode ser traduzido livremente como "desembarque", trata do processo de desligamento do funcionário de uma empresa.

Guardadas as devidas proporções, o "desembarque" do colaborador de uma companhia deve, assim como é feito nos transportes, ser tratado com precauções e orientações claras.

Por isso, o conceito de offboarding, que propõe um desligamento seguro, é cada vez mais aceito e utilizado no mundo corporativo.

Porém, aplicar o offboarding de forma eficiente não é simples, já que envolve diversas etapas e variações.

Se a demissão partir de uma iniciativa da empresa, por exemplo, é preciso estudar a melhor maneira de comunicar a decisão ao profissional em questão e reunir argumentos claros para tal. Nesse sentido, é extremamente importante não criar uma sensação de injustiça.

Em todos os casos, é preciso reunir previamente os documentos necessários, organizar a devolução de materiais e esclarecer todas as questões que envolvem o direito do trabalhador.

O processo todo deve correr de modo que a pessoa se sinta respeitada, evitando quaisquer dúvidas ou desentendimentos futuros.

Por que aplicá-lo em sua empresa?

O offboarding pode contribuir muito para a cultura da empresa. Como já explicamos, trata-se de um conceito que visa tornar a saída do colaborador um processo menos desgastante. Assim, evitam-se atritos que costumam surgir em situações tão delicadas.

Além disso, se bem estruturado, o offboarding evita possíveis confusões no gerenciamento de recursos humanos da empresa. Especialmente em empresas grandes, é preciso que haja um registro claro sobre datas e motivos de desligamento de uma peça da equipe.

Então, é possível que seja avaliada a necessidade de uma reposição ou delegação de responsabilidades.

Outro ponto fundamental é o ambiente geral de trabalho. O desligamento seguro é realizado para que haja um entendimento entre as partes e para que tudo seja feito da forma mais clara possível.

Isso evita a proliferação de boatos na empresa e garante que a produtividade dos demais trabalhadores não será afetada pela sensação de insegurança.

No mais, a adoção dessa prática acrescenta muito na maneira como a marca é vista no mercado.

Hoje em dia, relatos de ex-funcionários insatisfeitos são facilmente acessíveis e podem manchar permanentemente a reputação da empresa. A estrutura proposta pelo offboarding reduz a consternação de colaboradores demitidos.

Como adotar o offboarding?

Na teoria, o offboarding é um conceito simples de ser entendido. Mas como funciona sua aplicação na prática? Para facilitar sua compreensão, vamos citar algumas ações importantes que podem ser incorporadas no processo de desligamento de seus funcionários.

Estabeleça os procedimentos formais

A primeira etapa é garantir que todas as formalidades estão prontas para serem executadas.

Mapeie todo o processo e detalhe cada etapa a ser preenchida, além de apontar os responsáveis por cada uma delas. Estabeleça, por exemplo, um prazo para que a comunicação formal seja feita ao colaborador em questão.

Certifique-se de que não há pendências financeiras entre a companhia e o funcionário. Ademais, verifique se todas as responsabilidades atribuídas por contrato à empresa estão sendo cumpridas.

Dessa forma, evitam-se potenciais ações legais e mantém-se uma relação de confiança.

Seja o mais claro possível

Durante todo o processo de desligamento, deixe bem claro como e por que a firma chegou a tal decisão.

É importante que não haja um sentimento de incerteza, pois ele pode facilmente se espalhar para os funcionários que continuarão ligados à companhia.

Essa também é a hora de explicar todas as etapas do offboarding. Seja claro com o trabalhador sobre seus direitos, ofereça um canal de comunicação para resolver dúvidas e esteja aberto a ouvir perguntas e colocações.

Tenha empatia com reações emocionais

O desligamento de um profissional não corre sempre da mesma forma. Por mais que você tenha tudo planejado, o comunicado pode vir seguido de reações inesperadas, como crises de raiva ou choro.

Esteja preparado para isso. Saber lidar com as respostas emocionais é essencial para que o offboarding seja feito de maneira eficiente e não afete a produtividade da empresa.

Realize uma entrevista de desligamento eficiente

A entrevista de desligamento é uma das etapas mais interessantes do offboarding.

É nela que você tem a oportunidade de receber o feedback do colaborador que está deixando a equipe, o que pode servir de base para entender melhor o ambiente e as condições dentro da empresa.

Com isso, é possível trabalhar para otimizar a experiência e a produtividade do corpo de profissionais. Por ser tão relevante, a entrevista deve contar com um objetivo previamente definido, além da designação de um profissional devidamente apto para conduzi-la.

A abordagem para cada caso deve ser feita de forma diferente. Em situações de desligamento voluntário, por exemplo, entender os motivos que levaram o funcionário a tomar tal decisão é crucial para evitar futuras baixas e melhorar a experiência profissional dentro da companhia.

Muitas vezes, o processo de offboarding é negligenciado pelos gestores, que preferem não se preocupar com pessoas que já estão no caminho para deixar a empresa.

Porém, para que um gerenciamento de recursos humanos seja feito de forma eficiente, a adoção dessa prática é fundamental e necessária. Cada vez mais, a satisfação dos colaboradores influencia diretamente a reputação da empresa.

Por isso, dar a devida atenção à experiência de seus profissionais é imprescindível.

E aí, pronto para adotar as técnicas listadas no texto e estabelecer um processo de offboarding eficiente na sua empresa? Aproveite que está por aqui e entenda também como a inteligência artificial atua no processo de recrutamento e seleção. Boa leitura!  

Banner do ebook  gratuito "Enciclopédia do RH estratégico: recrutamento e seleção", com um botão escrito "baixe agora"

Inscreva-se na nossa Newsletter

Banner do ebook "Manual de criação do 'trabalhe conosco': a receita para a página de carreiras épica", com um botão escrito "baixe nosso e-book"
Banner do ebook "Curso intensivo de recrutamento e seleção para alta performance 2.0 | Agora com certificado", com um botão escrito "inscreva-se"
Banner do ebook "Diagnóstico de recrutamento e seleção: descubra e melhore a maturidade dos seus processos", com um botão escrito "conferir agora"
Bruna Guimarães | GUPY

Bruna Guimarães | GUPY

Formada em Administração de Empresas pela UFRRJ e com MBA executivo pela Coppead UFRJ, é COO & Co-founder da GUPY. Bruna é especialista em recrutamento e seleção e entende com profundidade as dores dessa área. Construiu sua carreira em uma grande multinacional onde era responsável pelo recrutamento de toda a organização através da sua paixão por RH, pessoas e foco em resultado.