Tendências de recrutamento e seleção 2020: prepare-se!

0 minutos de leitura

Não é de hoje que a competitividade nas empresas é um assunto que também faz parte da rotina do RH. Isso porque só se atinge os resultados esperados quando se conta com uma força de trabalho exemplar.

Nesse sentido, para chegar aos maiores talentos, é imprescindível estar por dentro das tendências de recrutamento e seleção de 2020! Afinal, uma organização não vai sobreviver a um cenário cada vez mais acirrado se não oferecer bons produtos ou fazer um serviço bem feito.

A próxima década promete dar uma repaginada a tendências de anos anteriores. Na sequência, você vai conferir com mais detalhes:

  1. a força do ATS;
  2. Social Hiring;
  3. formas não convencionais de recrutamento;
  4. recrutamento Data-Drive;
  5. avaliação de competências interpessoais;
  6. seleção de candidatos passivos.

Está preparado? Vamos lá!

1. A força do ATS

A sigla, que no inglês significa Applicant Tracking System, ou Sistema de Rastreamento de Candidatos, em português, diz respeito a uma das tendências de recrutamento e seleção que aparecem repaginadas em 2020.

Em síntese, essas plataformas são softwares de recrutamento aprimorados, (caso da Gupy) e que trazem ainda mais agilidade aos processos seletivos. Também otimizam o prazo para a sua conclusão, ao mesmo tempo em que pode diminuir esses custos de maneira expressiva.

Os sistemas ATS são ousados a ponto de permitir que as empresas identifiquem qual o modelo de recrutamento mais adequado para a sua realidade.

Por exemplo, se a cada abertura de vaga em uma organização, os gestores se dividem entre dar a oportunidade em uma seleção interna ou partir para a externa logo de cara, em 2020, com as plataformas ATS, esse problema não vai mais existir.

2. Social Hiring

Também chamado de marketing de recrutamento e recrutamento social, o Social Hiring é uma tendência que surgiu devido aos novos moldes do mercado. Isso porque, hoje, os profissionais também são vistos como clientes de uma empresa.

O social hiring está em justamente usar canais de mídias sociais, com estratégias voltadas para o recrutamento para encontrar, atrair e contratar talentos.

Imagem de um funil de social hiring vs recrutamento tradicional, tendência de recrutamento e seleção 2020

Assim como a venda de produtos e serviços exige uma campanha elaborada de marketing, os profissionais do RH também precisam assumir esse posicionamento perante aos candidatos.

Isso significa que, para ter sucesso em uma contratação, é preciso criar estratégias para criar uma marca empregadora interessante e atraente. E isso começa no recrutamento.

Se no processo seletivo os profissionais não se sentirem atraídos pela cultura da empresa, nem pelo que é oferecido, não há dúvidas de que eles vão procurar a concorrência. Ou seja, criar uma experiência marcante ao candidato é fundamental para o sucesso da seleção.

3. Formas não convencionais de recrutamento

Se a sua empresa ainda divulga as vagas, recebe os currículos, lê um por um, chama para algumas entrevistas e depois decide por um candidato, ela já está agindo de maneira arcaica.

É verdade que as entrevistas de emprego ainda são fundamentais para um processo seletivo de sucesso, mas não significa que novos modelos não possam ser adotados.

Para 2020, as tendências que podem fazer com que um processo de recrutamento e seleção seja ainda mais eficiente — ao mesmo tempo em que proporciona a experiência marcante ao candidato, que destacamos acima — são:

  • entrevistas informais, realizadas em um café, restaurante ou qualquer outro ambiente agradável;
  • uso de realidade virtual ou aumentada para testar aptidões;
  • uma espécie de audição para que o candidato possa realizar um teste prático e ser avaliado, bem no estilo do programa televisivo Masterchef.

4. Recrutamento data driven

O data driven diz respeito ao uso de dados como pilar para a composição e o planejamento de estratégias corporativas. Ele pode ser aplicado em qualquer setor de uma empresa.

Ao fazer parte dos processos de RH, pode revelar informações valiosas a respeito da contratação de novos talentos, uma vez que revela todo o caminho percorrido para que os melhores profissionais do time tenham chegado até a organização.

A gestão data driven mostra perfeitamente o que tem dado certo ou não, permitindo que a empresa direcione seus esforços e investimentos para ações realmente efetivas. Também, ara que possa corrigir qualquer problema antes que vire um prejuízo.

5. Avaliação de competências interpessoais

O assunto parece batido e óbvio para você? Saiba que é comum que as empresas estejam avaliando as competências interpessoais de forma equivocada!

Normalmente, os gestores trabalham com uma lista óbvia de habilidades desejadas, como proatividade e bom relacionamento interpessoal, quando, na realidade, isso é apenas o básico.

A avaliação de competências interpessoais aparece como uma das tendências de recrutamento e seleção porque, a partir de agora, ela deve ir além desse padrão adotado pelas empresas. É preciso enxergar o candidato individualmente e de acordo com a função que será exercida.

Quer um exemplo prático? Se você abre uma vaga em comunicação, é fundamental que a pessoa escreva bem, certo?

No entanto, se você pretende abordar um público jovem nas mídias sociais, é mais importante alguém que escreva bem e seja antenado nas gírias e memes do momento do que um expert em gramática, mas com um vocabulário mais requintado.

6. Seleção de candidatos passivos

O candidato passivo atualmente não está procurando uma nova oportunidade, mas representa uma parcela significativa de talentos!

Ele acaba estando em uma situação diferente: foca seu tempo e esforço em plataformas como o linkedin para interagir em seu setor, atualizar suas habilidades e fazer contatos relevantes.

Construir relacionamento com esse perfil antes de fazer contato verbal é fundamental para poder prender sua atenção. E é aí que entra uma forte marca empregadora, bem como o uso ativo de um ATS para criar um pool de talentos robusto. 

Lembre-se, porém: candidatos passivos são melhores para cargos altamente qualificados, onde há escassez de habilidades, específicos e funções executivas.

Considerando que 70% dos candidatos são candidatos passivos, você não pode ignorar uma fonte tão vasta de talento se estiver lutando para preencher vagas vitais. 

Os processos seletivos mudaram muito ao longo dos anos e essas transformações não ficaram estagnadas. O cenário é cada vez mais competitivo e as ferramentas tecnológicas surgem e se renovam constantemente.

Por isso, ficar de olho nas tendências de recrutamento e seleção e investir em um conjunto de ações inovadoras é uma atitude inteligente para negócios que querem se manter saudáveis.

Quer saber outras tendências? Então, confira o artigo o futuro do RH e aproveite para ler nosso material de pesquisas!

Banner do e-book  "6 pesquisas sobre o futuro do Recrutamento e Seleção nas empresas", com um botão escrito "baixe o e-book"

Inscreva-se na nossa Newsletter

New call-to-action
New call-to-action
Banner do calendário do RH 2020, com um botão escrito "baixe agora"
Guilherme Dias | GUPY

Guilherme Dias | GUPY

Atua com Marketing e Growth sendo CMO & Co-founder na Gupy. Através de uma consultoria de business em que foi sócio, descobriu que adora otimizar processos, redesenhar soluções de gestão e trazer resultados mais agressivos para negócios. É curioso e apaixonado por Recursos Humanos, séries e gastronomia.