Como desenvolver a liderança inclusiva

A liderança inclusiva faz parte do futuro das organizações. Conheça os pilares dessa visão revolucionária na gestão de pessoas.


11 minutos de leitura

Tratar de diversidade e inclusão nas empresas vai muito além de uma simples tendência. E quando se trata de performance, estudos apontam a liderança inclusiva e diversa como um dos pontos-chave para o crescimento dos negócios. 

Por isso, conheça o conceito de líder inclusivo e saiba mais sobre como desenvolver essa poderosa ferramenta na cultura organizacional da sua empresa!

Banner divulgação material sobre 6 indicadores e métricas de diversidade e inclusão

O que é liderança inclusiva?

Diante de um mundo cada vez mais mutável, os líderes têm grande responsabilidade em fazer com que as empresas se adaptem com agilidade a novos desafios de mercado. Quanto mais pontos de vista diante de um problema, maior é a probabilidade de encontrar saídas criativas para ele

Diante disso, uma liderança inclusiva é aquela que estimula o desenvolvimento de times diversos, com pessoas de diferentes contextos, habilidades, ideias, costumes, visões de mundo e valores pessoais. 

São os times múltiplos que irão guiar a empresa em busca de novos caminhos, fazendo com que se destaquem perante concorrentes e futuros clientes. 

Os 6 pilares da liderança inclusiva

Em 2021, a empresa Deloitte realizou uma pesquisa considerada a precursora de toda a ideia da liderança inclusiva. Nesse estudo, a empresa identificou 6 pilares principais para o desenvolvimento de líderes inclusivos. 

Antes de explorar todos os itens, é importante realizar uma rápida análise situacional. Sabemos que é impossível prever o futuro. Porém, é necessário conhecer as tendências que apontam os caminhos que possivelmente serão encontrados lá na frente.  

Nessa mesma pesquisa, a Deloitte traçou 4 mega tendências globais que irão influenciar nas prioridades das empresas ao longo dos próximos anos. São elas:

  • Diversidade de mercados: é preciso estar atento a mercados emergentes, pois a demanda desses novos mercados tendem a crescer nos próximos anos — revelando grandes chances de crescimento para as companhias que decidirem explorar essa possibilidade;
  • Diversidade de consumidores: o comportamento dos consumidores está mudando de maneira acelerada. Com o avanço da tecnologia e da personalização de serviços e produtos, é necessário que as companhias estejam atentas aos novos hábitos de consumo;

  • Diversidade de ideias: com o acesso a informações na palma da mão, a hiperconectividade e o grande acesso à tecnologia, consumidores e concorrentes estão cada vez mais conectados. Por isso, inovação será a chave para ganhar espaço no mercado;

  • Diversidade de talentos: para dar conta de tudo isso, é preciso cada vez mais contar com talentos diversos. Uma única visão de mundo e de negócios não irá sobreviver sozinha diante de tantas mudanças.

Para se destacar, a liderança inclusiva precisa ser assertiva. Para isso, conhecer os principais pilares desse modo de liderar pode ser uma grande vantagem tanto para os líderes quanto para o setor de RH.

Conheça os fundamentos levantados na pesquisa:

1. Comprometimento

Confiança no negócio e ter valores pessoais de diversidade e inclusão

Quando questionados acerca de seu comprometimento com as iniciativas de diversidade e inclusão nas empresas, grande parte dos líderes entrevistados pela Deloitte afirmaram ter grande identificação pessoal com os valores de diversidade e inclusão.

Um grande senso de justiça e a vontade de fazer diferente são os principais motivadores para uma liderança inclusiva

Por isso, tendem a tratar todas as pessoas colaboradoras como os indivíduos únicos que são, de modo a respeitar suas individualidades e garantir que se sintam seguros e conectados com a companhia.

Para os líderes com esse perfil, é necessário que seus valores pessoais encontrem os da companhia, para terem real confiança na cultura organizacional e, assim, poderem potencializar o desenvolvimento do negócio.

Além disso, a liderança inclusiva também acredita que diversidade e inclusão são a essência da empresa. Por isso, tratam esses itens como prioridade, tomando para si a responsabilidade de criar ações que fomentem esses objetivos.

2. Coragem

Encarar a liderança com humildade e bravura

Para um líder com foco em inclusão, estar na posição de liderança significa ter coragem para desafiar o status quo. Isso quer dizer que estão comprometidos a se colocar na dianteira e a combater práticas de homogeneização do espaço de trabalho.

Estar em uma posição que desafia a norma frequentemente faz com que a pessoa seja questionada. Para estar no radar de objeções e contestações, é preciso saber até onde você consegue ir

Por isso, quem se desenvolve enquanto liderança inclusiva também precisa estar preparado para ter uma certa humildade com relação a suas próprias limitações e fragilidades. 

Uma caminhada cheia de desafios consiste em errar, reconhecer o erro e se reestabilizar de novo. É imprescindível saber os seus limites pessoais para que esse ciclo não seja nocivo para a pessoa líder.

3. Conhecimento de vieses

Ter auto regulação, disciplina e aplicar sempre o fair play

Quando se trata de diversidade e inclusão, muito é falado sobre os vieses inconscientes, aqueles preconceitos, estereótipos ou pensamentos tendenciosos sobre pessoas, culturas e temáticas específicas que frequentemente são encontrados em nossa sociedade.

Uma liderança inclusiva precisa trazer à tona esses vieses para poder combatê-los. Ou seja: é preciso tornar consciente o que, muitas vezes, passa despercebido no dia a dia. 

É somente desse jeito que um líder inclusivo pode trazer mais respeito e ética para o ambiente de trabalho — processo também conhecido como fair play, quando todas as decisões acerca da equipe são tomadas de modo justo, transparente e igualitário.

4. Curiosidade

Estar aberto ao novo, ter diferentes perspectivas e lidar com a ambiguidade

Para ser um líder inclusivo, é preciso utilizar a inteligência emocional de forma ativa. Ser uma pessoa curiosa ajuda a liderança inclusiva a estar sempre aberta a mudanças de mentalidade, tornando-se mais adaptável ao que é novo e a diferentes pontos de vista.

Além disso, a curiosidade traz um desejo pelo aprendizado e fomenta a construção de ideias inovadoras. Em um mundo que muda tão rápido, é necessário ter a motivação sempre voltada a diferentes pontos de vista, evitando a estagnação.

Os líderes inclusivos que são curiosos também tem um forte perfil de provocar mudanças e questionamentos em seu time. Esse tipo de comportamento, quando feito de forma respeitosa e segura, faz com que o time evolua e tome novas perspectivas acerca dos mais diversos assuntos. 

Por fim, é possível observar que a curiosidade também abre portas para novas conexões. Pessoas curiosas tendem a ser mais exploradoras e corajosas, o que é um ótimo perfil para uma liderança inclusiva.

5. Inteligência cultural

Ter foco, conhecimento e adaptabilidade com relação a diferentes culturas

Não basta ser uma pessoa curiosa, é preciso ter inteligência cultural para saber lidar com diferentes modos de vida. Por isso, outra característica de um líder inclusivo traçada na pesquisa da Deloitte diz respeito justamente a esse perfil de respeitar e incentivar interações entre diferentes pessoas e culturas.

Ambientes que fazem as pessoas saírem da zona de conforto podem ser desconfortáveis, mas trazem grandes aprendizados — e essa é uma das bases da inteligência cultural.

Vale lembrar que essa habilidade de adaptação nada tem a ver com apropriação cultural, que é quando você se utiliza da cultura do outro para fins diversos.

Inteligência cultural quer dizer ouvir e conhecer a cultura do outro, respeitando suas ambiguidades e diferenças.

6. Colaboratividade

Desenvolver o empoderamento, o senso de equipe e dar voz aos liderados

A última característica imprescindível em uma liderança inclusiva fala sobre o empoderamento de diferentes indivíduos e a criação de pensamentos diversos dentro de um único grupo de pessoas.

Os líderes com perfil focado em inclusão tendem a dar voz a diferentes pessoas, alavancando suas ideias e gerando discussões saudáveis que contam com os mais diversos pontos de vista acerca de um mesmo assunto. 

Esse ponto faz com que as pessoas lideradas tenham autonomia e segurança para trabalhar e criar com liberdade. Além disso, um líder inclusivo percebe que pessoas independentes e autônomas costumam ter mais engajamento no trabalho, pois se sentem mais à vontade para serem elas mesmas.

Também é necessário falar sobre a importância do empoderamento de pessoas para o fomento de uma cultura organizacional diversa. Quanto mais as pessoas colaboradoras se sentem à vontade para expressar seus pontos de vista diversos, mais força a diversidade ganha para aparecer no ambiente de trabalho.  

Banner do curso de Diversidade e Inclusão da Gupy Academy

A importância da liderança inclusiva para times mais saudáveis

É interessante observar que os pilares da liderança inclusiva estão intimamente ligados a uma gestão humanizada de pessoas. 

A valorização do indivíduo é extremamente positiva para as empresas, fazendo com que as pessoas colaboradoras realmente se identifiquem com a companhia e se sintam à vontade para expressar todo o seu potencial em projetos, produtos e o que mais aparecer no dia a dia de trabalho.

Como falamos, aqui na Gupy gente vem primeiro. Quando se tem foco nas pessoas, é possível manter um ambiente saudável e seguro na companhia. Ao criar lugares de trabalho com esse perfil, o engajamento das pessoas tende a aumentar — o que impacta diretamente na produtividade da empresa como um todo.

7 Dicas para o RH desenvolver uma liderança inclusiva

É claro que uma liderança inclusiva não vai surgir do dia para a noite. É necessário traçar ações estratégicas para criar um programa de desenvolvimento da liderança que esteja pautado na diversidade.

Por isso, destacamos 7 maneiras que o RH pode atuar para desenvolver uma liderança inclusiva na cultura da organização:

1. Identifique os pontos de atenção

Diante de um novo projeto, o primeiro passo é sempre encontrar quais os principais desafios que o RH pode enfrentar. Por isso, é fundamental identificar o perfil atual da liderança para traçar planos de ação que combatam as principais dificuldades com relação à diversidade e inclusão.

Realize uma dinâmica ou uma pesquisa para conhecer mais sobre as opiniões da liderança com relação a vieses inconscientes, busque compreender em que nível de maturidade estão com relação aos pilares da liderança inclusiva e documente todas as descobertas para traçar planos de ação.

2. Faça um alinhamento estratégico com as lideranças

Qualquer plano de futuro da liderança traçado pelo RH precisa ser muito bem estruturado. É preciso que o setor de recursos humanos e os líderes estejam muito alinhados com relação aos objetivos e que a própria ideia de uma liderança inclusiva faça muito sentido para os líderes.

Por isso, mostre o valor das ações para as pessoas líderes da sua empresa. Aqui, é possível realizar palestras com outras empresas e entrevistas com outras lideranças que já tenham o perfil inclusivo, por exemplo.

O importante é que todos os passos do desenvolvimento de uma liderança inclusiva sejam claros e justos para as pessoas líderes. É somente com a ideia internalizada que essa estratégia irá funcionar. 

3. Tenha um programa de Recrutamento & Seleção focado em diversidade

Uma das principais etapas da implementação de uma liderança inclusiva é justamente o Recrutamento & Seleção

Um processo seletivo focado em diversidade é importante tanto para encontrar pessoas líderes que tenham fit cultural com essa necessidade da companhia quanto para escalar a contratação de pessoas diversas em todos os níveis da empresa.

A solução de diversidade da Gupy é uma grande aliada para empresas que buscam contratações mais justas, éticas e inclusivas. Desde o seu lançamento, o módulo de diversidade já ajudou mais de 400 empresas a realizar contratações mais justas e diversas. 

Ao utilizar o módulo de diversidade na plataforma Gupy, o RH pode acessar dados de diversidade em processos seletivos, elaborar ações focadas em diversidade com mais facilidade e garantir segurança e acessibilidade para as pessoas candidatas.

A Gupy criou a primeira e mais completa solução em diversidade para Recrutamento & Seleção do Brasil! Clique e conheça.

4. Desenvolva a liderança com foco em inclusão

Outro ponto que precisa ser considerado é a realização de processos de treinamento e desenvolvimento com foco em diversidade e inclusão para pessoas líderes. 

Essas ações podem tanto ser individuais quanto coletivas. Ao realizar treinamentos com toda a equipe de liderança, é possível estimular a troca de experiências e percepções, o que é super positivo para o aprendizado e o ajuste de novas maneiras de pensar a pessoa líder nas organizações. 

5. Incentive o autoconhecimento

Um dos principais itens mencionados nos pilares da liderança inclusiva é o perfil da pessoa líder diante de tudo que é novo e diferente. De nada adianta que o RH crie programas de desenvolvimento e fomente uma cultura diversa de as pessoas que irão carregar essa cultura não estejam preparadas para tal.

Por isso, o autoconhecimento é uma das principais chaves para o desenvolvimento de líderes mais inclusivos. Incentive o conhecimento individual para que isso possa refletir no bem geral da companhia.

6. Estimule a escuta ativa

Outro ponto essencial é encorajar a liderança a conhecer melhor as pessoas lideradas em seus times. Crie uma rotina de feedbacks e reuniões one on one na empresa, com base em escuta ativa para criar conexões mais fortes entre líderes e liderados. 

Esse tipo de ação faz com que as pessoas colaboradoras se tornem fortes aliadas no desenvolvimento de uma cultura transparente, segura e diversa — além de torná-los verdadeiros termômetros da efetividade dos esforços do RH em direção a este objetivo.

7. Invista em programas de inclusão dentro e fora da empresa

Os programas de inclusão são poderosas ferramentas para desenvolver uma cultura pautada na liderança inclusiva, e eles não devem ficar somente na empresa. 

Quando se trata de mudanças tão profundas e importantes para a sociedade, as empresas têm um papel fundamental na ruptura do status quo. Por isso, tornar os programas de inclusão uma pauta pública é uma das maneiras de gerar importantes debates e de se tornar referência no assunto. 

Na Gupy, temos um manifesto de diversidade que carrega todas as principais ações que realizamos em prol desse objetivo. Nossas metas são transparentes para que outras empresas possam se inspirar nas ações e desenvolver seus próprios programas focados em diversidade, inclusão, ética e justiça.

Nosso objetivo é mudar a empregabilidade no Brasil e esse é um dos principais pilares no qual acreditamos. 

Conheça a solução ideal para o Recrutamento e Seleção e Admissão da sua empresa. Agende uma demonstração da Gupy.
Vamos juntos tranformar o RH da sua empresa?

Contrate a pessoa certa, sempre.

Os seus critérios de seleção, aplicados de maneira inteligente e rápida com a Gupy - o software de Recrutamento e Seleção favorito das grandes empresas do Brasil.

Solicitar demonstração →