Tudo o que você mais precisa saber sobre Downsizing

O downsizing visa reduzir o quadro de colaboradores com a finalidade de realizar uma reestruturação no quadro de talentos, mantendo o desempenho e a lucratividade de organizações que precisam de medidas estratégicas para continuarem operantes.


9 minutos de leitura

Em meio a um cenário altamente competitivo e um mercado que se transforma a cada dia, muitas empresas acabam tomando medidas radicais para que mantenham suas operações e sobrevivam diante de contextos delicados. Nesse sentido, o downsizing se mostra, por vezes, como uma estratégia necessária.

Para que você entenda melhor o que significa esse conceito, quando ele pode ser aplicado, quais as suas vantagens, entre outras informações relacionadas, preparamos este conteúdo. Continue a leitura do artigo para saber tudo sobre downsizing!

Neste conteúdo, você verá as seguintes informações:

  • O que é downsizing?
  • Quais os objetivos?
  • Por que é tão importante?
  • Quais as vantagens de uma estratégia bem aplicada?
  • Quais as consequências de um downsizing mal conduzido?
  • Como implementar?
  • Como analisar os resultados?

O que é downsizing?

Downsizing em português significa "diminuição de tamanho" ou "achatamento", isto é, o ato de reduzir, diminuir ou até mesmo eliminar o que é obsoleto ou desnecessário em uma organização por engessar os processos e gerar impactos negativos na tomada de decisão e na agilidade dos processos internos.

O downsizing surgiu em meados da década de 1970, nos Estados Unidos, como uma das estratégias adotadas pelas empresas que se encontravam em dificuldades financeiras na época para cortar gastos e otimizar os lucros. No Brasil, esse método se popularizou e passou a ser aplicado por gestores empresariais a partir dos anos 1980.

Há quem diga que adotar esse tipo de medida como recurso para escapar da falência é a última opção que uma companhia deve recorrer para impulsionar a recuperação dos negócios. No entanto, nos dias atuais, é muito comum nos depararmos com organizações mundo afora que adotam a prática de downsizing.

Sendo assim, podemos afirmar que downsizing nada mais é do que o conjunto de medidas e ações administrativas tomadas pelos gestores para tornar a infraestrutura mais enxuta possível, desburocratizando processos e cortando gastos ao mesmo tempo que potencializam e reestruturam atividades operacionais, eliminam processos obsoletos e cadeias hierárquicas dispensáveis. Além disso, a autonomia dos colaboradores é aumentada e o clima organizacional melhorado.

Quais os objetivos?

Se pensarmos nos objetivos de curto prazo após a implementação de uma estratégia de downsizing, os primeiros conceitos que nos vêm à mente são a redução de custos, achatamento de hierarquias desnecessárias, reestruturação da cultura organizacional e até mesmo desligamento de funcionários.

Porém, o conceito não se resume apenas a isso. Quando se pensa a longo prazo, o downsizing também costuma ser adotado como medida de crescimento sustentável, aprimoramento de produtos e serviços, modernização da companhia e de seus processos internos e, é claro, na redução de burocracia desnecessária.

De forma resumida, entre os principais motivos pelos quais as empresas adotam uma estratégia de downsizing, podemos citar:

  • eliminação de hierarquias e cargos desnecessários;
  • agilidade na tomada de decisões;
  • eliminação de rotinas burocráticas;
  • redução de custos;
  • foco nas necessidades reais do mercado e dos clientes;
  • comunicação mais transparente e rápida dentro da empresa;
  • respostas rápidas às iniciativas da concorrência;
  • sinergia das equipes e processos dentro da organização.

Nova call to action

Por que é tão importante?

Embora a redução de custos seja uma das principais razões pelas quais as organizações decidem achatar a estrutura organizacional, existem outros motivos que justificam a adoção de downsizing, como:

Geração de valor

Redimensionar a quantidade de colaboradores indica mudanças em andamento, em geral, para que a rentabilidade do negócio seja aumentada. Ao notar que a organização está adotando medidas focadas em otimizar a lucratividade, investidores e acionistas enxergam isso como um bom sinal.

Consequentemente, o valor de mercado das ações da empresa pode subir. Porém, é importante lembrar que efeitos positivos só ocorrem quando a estratégia de downsizing é feita com transparência (falaremos mais sobre isso adiante). 

Aumento da produtividade

Apesar de parecer controverso, reduzir o número de talentos da equipe pode gerar aumento de produtividade, desde que a empresa faça isso corretamente, ao focar na produção individual dos profissionais ou substituí-los por ferramentas tecnológicas, por exemplo.

Fusões de negócios

Privatizações ou novas aquisições — com a finalidade de garantir a sobrevivência da empresa — são algumas das razões pelas quais algumas medidas de downsizing são tomadas, visto que a criação de fusões e holding pode gerar problemas como a redundância de funções e, por isso, pode ser preciso diminuir o número de colaboradores.

Necessidade de terceirização

A companhia pode decidir optar pela redução de sua estrutura ao perceber que a terceirização de determinadas atividades gerará resultados como a redução de custos ou o aumento da produtividade.

Busca por eficiência

Diante de algumas ocasiões, quanto maior o número de funcionários trabalhando em uma mesma função, menor pode se tornar a eficiência dos processos relativos a essa função. Sendo assim, reduzir a quantidade do pessoal e, ao mesmo tempo, melhorar os procedimentos por meio do uso de tecnologia, são medidas que podem solucionar o problema.

Quais as vantagens de uma estratégia bem aplicada?

Até aqui, você pôde entender o que é downsizing e por quais motivos as empresas apelam para esse tipo de estratégia. Neste tópico, você conhecerá os efeitos positivos de um downsizing bem aplicado.

Operações de escala

Durante períodos de crescimento, é muito comum que as organizações realizem novas contratações e adquiram mais equipamentos para atender às demandas comerciais imediatas. Isso é uma atitude natural e integra o processo de evolução do negócio.

Todavia, após esse período passar, os gestores podem notar a necessidade de que a empresa seja redimensionada para um tamanho mais gerenciável e adequado à realidade atual, e é aí que o downsizing se mostra indispensável, pois permite que o negócio seja reduzido para que mantenha sua eficiência e permaneça lucrativo.

Reavaliação

Ao decidir que o downsizing é a melhor estratégia, a empresa se vê obrigada a fazer uma reavaliação de seus processos e reescrever seu orçamento empresarial, assim como seu planejamento estratégico. Isso é fundamental, visto que, uma organização deve se manter constantemente atualizada para que reflita em mudanças internas e externas que contribuam com a sua produtividade.

Isso também deve acontecer com o orçamento, o qual passa por revisões. A decisão de reduzir a estrutura do negócio faz parte de todo um conjunto de medidas de reavaliação do planejamento estratégico para que a companhia seja colocada em uma posição competitiva melhor para o futuro.

Quais as consequências de um downsizing mal conduzido?

No tópico anterior mostraremos as vantagens de adotar uma estratégia de downsizing de maneira transparente e eficiente. Agora, você conhecerá as consequências negativas que a má condução desse processo pode gerar.

Impactos na imagem da empresa

Se o downsizing não for implementado de forma clara e transparente pelos gestores da empresa, a medida pode ser encarada como algo negativo pelo público. Afinal, uma companhia que demite funcionários e reduz a produção costuma ser sinal de problemas financeiros. Para evitar esse problema, muitas organizações costumam anunciar o downsizing publicamente para stakeholders e funcionários.

Redução da eficiência dos processos

Se boas práticas de gestão de pessoas não forem tomadas durante a aplicação do downsizing, uma consequência natural será a perda de produtividade, visto que haverão menos pessoas capacitadas realizando uma determinada tarefa.

Insegurança

O clima organizacional pode ser fortemente impactado devido à insegurança que a redução da equipe pode gerar. Afinal, é comum que os funcionários que permaneceram na equipe, após verem colegas sendo demitidos, sintam-se desorientados. É preciso tomar cuidado, pois isso pode afetar o comprometimento dos profissionais.

Perda de capital humano

Reduzir o quadro de funcionários da empresa nunca é uma tarefa fácil, e, se for feita de forma precipitada, pode gerar perda de capital humano. É muito importante que o departamento de Recursos Humanos saiba mensurar o desempenho de seu pessoal para tomar as decisões corretas nesse momento delicado e não demitir boas aquisições de seu time de talentos.

Nova call to action

Como implementar?

O sucesso para a implementação de um processo de downsizing está ligado a dois fatores: a presença de uma liderança forte e a adoção de uma estratégia inteligente. Caso contrário, como mostramos acima, as consequências podem ser catastróficas.

Veja a seguir algumas boas práticas sobre como implementar o downsizing de maneira bem-sucedida na organização:

Analise dados

Nenhum gestor empresarial deveria tomar uma decisão importante sem antes analisar minuciosamente a real situação do negócio e averiguar todas as possibilidades que tem em mãos.

Dito isso, podemos afirmar que se a diretoria chegou à conclusão que o downsizing é realmente necessário, significa que realizou um estudo de viabilidade, fez todas as análises de dados necessárias, projetou cenários de vendas e faturamento e trabalhou com indicadores.

Por isso, seu papel agora é apresentar as previsões orçamentárias da empresa em um longo prazo para que os sócios e investidores tenham uma noção precisa sobre os objetivos que serão atingidos com o downsizing.

Defina as reduções que serão feitas

Após analisar a estratégia de downsizing, é preciso definir quais reduções serão feitas pela companhia, isto é, quantos setores diminuição a produção, quantos funcionários serão demitidos, entre outras questões.

Por meio dessa análise será possível fazer projeções de fluxo de caixa, de vendas, de despesas e também de custos que a organização terá com a redução da produção e com as demissões. Assim, o responsável pela controladoria poderá elaborar um orçamento mais preciso na hora de estabelecer os objetivos.

Defina metas e objetivos

É imprescindível que os gestores se reúnam e determinem quais são os pontos almejados com as medidas tomadas pelo processo de downsizing e, consequentemente, com o achatamento da estrutura hierárquica. Como você já deve imaginar, ter um panorama financeiro da empresa detalhado e atualizado pode contribuir nessa definição.

Determine prazos e responsabilidades

Para que o planejamento saia do papel e seja colocado em prática é preciso que os gestores também definam os prazos para que cada medida seja tomada e as responsabilidades de cada envolvido na estratégia.

Faça tudo com clareza e transparência

Diante do contexto de um downsizing, é de responsabilidade dos gestores que todo o processo seja realizado de forma clara e transparente, especialmente com os colaboradores, pois são eles que fazem o que é preciso para a empresa crescer.

Não deixe que os funcionários fiquem sabendo que a reorganização estrutural por meio de veículos de comunicação externos, visto que isso pode tornar o processo ainda mais complexo. Quando falamos em transparência, vale lembrar que é fundamental que todos saibam também as razões pelas quais a empresa passará pelo processo de downsizing.

Além disso, é importante lembrar que a empresa deve adotar uma postura humanizada diante dessa situação e se colocar à disposição para responder qualquer dúvida de seus funcionários, principalmente aqueles que terão de ser desligados.

Motive os colaboradores

Como já falamos, esse momento delicado gerar uma sensação de insegurança no ar e afetar o clima organizacional, já que a moral dos funcionários que permaneceram pode ser abalada. Sendo assim, é preciso que os gestores se mostrem confiantes e positivos em relação ao futuro da companhia para que os colaboradores sejam motivados.

Uma ideia interessante é fazer uma reunião com todos a fim de apresentar as projeções financeiras e o novo planejamento estratégico. Lembrando que é preciso usar uma linguagem sem muitos jargões técnicos e que possa ser facilmente compreendida por qualquer pessoa.

Vale destacar, ainda, que os gestores têm o dever de se manterem disponíveis e de fornecerem feedbacks constantes aos funcionários, pois isso ajudará a fazer com que eles vejam que seus esforços estão sendo reconhecidos e serão recompensados.

Como você pôde contemplar neste conteúdo, downsizing é um conjunto de medidas e ações estratégicas que têm como finalidade enxugar a estrutura, desburocratizar processos ou realizar qualquer tipo de redução na empresa que gerará aumento da lucratividade, corte de despesas e eliminação de procedimentos obsoletos, a fim de garantir a sobrevivência do negócio.

Quer acompanhar todas as novidades, dicas e conteúdos informativos sobre gestão de pessoas, transformação digital e empreendedorismo compartilhados pela Gupy? Então, siga a nossa página no LinkedIn para não perder nossas próximas postagens!

New call-to-action
Vamos juntos tranformar o RH da sua empresa?

Contrate a pessoa certa, sempre.

Os seus critérios de seleção, aplicados de maneira inteligente e rápida com a Gupy - o software de Recrutamento e Seleção favorito das grandes empresas do Brasil.

Solicitar demonstração →