Capital humano: qual a importância e como desenvolver?

Capital humano representa o valor agregado que cada profissional carrega em si, como suas expertises, habilidades, conhecimentos e comportamentos, e que possibilita a realização de um trabalho.


9 minutos de leitura

Muito se fala nos tempos atuais sobre a importância de trazer a transformação digital para dentro da empresa, como forma de impulsionar os resultados e colocá-la em uma posição altamente competitiva. No entanto, você já se questionou se está cuidando do capital humano da organização da maneira como deveria?

Afinal, por mais que a tecnologia evolua e impacte no comportamento de consumo, gerando novas demandas no mercado, o fato é que as empresas continuam sendo formadas por pessoas. Reduzir o turnover e absenteísmo, garantir um bom índice de engajamento e investir na melhora do clima organizacional são apenas algumas das medidas cruciais que o Departamento de Recursos Humanos deve tomar.

Por isso, preparamos este material completo para que você entenda o que é capital humano, qual a importância de gerenciá-lo adequadamente, quais os seus pilares, entre outras informações importantes em torno do assunto. Continue a leitura do artigo para saber mais sobre o assunto!

Neste conteúdo, você verá as seguintes informações:

  • O que é capital humano?
  • Qual a sua importância para a empresa?
  • Por que fazer uma boa gestão de capital humano?
  • Quais os pilares essenciais para gerir pessoas?
  • Como desenvolver o capital humano?

O que é capital humano?

Ativo ou capital humano são o bem mais valioso que uma companhia pode ter. O termo representa o valor agregado aos colaboradores por meio de suas experiências, conhecimentos técnicos, comportamentos, habilidades e competências pessoais.

De forma simplificada, pode-se afirmar que capital humano é o conjunto de expertises que um profissional tem para realizar suas responsabilidades na empresa. Investir no desenvolvimento de suas qualificações é fundamental para que as atividades, de fato, agreguem valor no que se diz respeito aos resultados da organização.

Uma gestão de pessoas adequada gera impactos diretos no crescimento do negócio. Uma vez que os colaboradores são os principais responsáveis por lidar com as demandas do mercado e manter os processos da empresa a todo o vapor, é de responsabilidade do RH promover um bom clima organizacional e desenvolver o potencial de cada membro da equipe.

Nova call to action

Qual a sua importância para a empresa?

O capital humano, quando bem gerido pela organização, permite que a empresa eleve o seu grau de competitividade, o que é crucial em um panorama altamente acirrado como o atual. Profissionais satisfeitos com o ambiente em que trabalham tendem a ser muito mais produtivos, dedicando o máximo de seu potencial durante o expediente. Com isso, a empresa se torna mais preparada para lidar com a concorrência, além de garantir um alto índice de satisfação do consumidor.

Em outras palavras, a importância do capital humano para empresa está relacionada ao fato de que são as pessoas que dão a força de trabalho para a companhia. Sem os colaboradores, a empresa não poderia existir, visto que são eles que realizam todas as funções operacionais, como o atendimento ao cliente, a produção de produtos ou serviços, vendas e fechamento de negócios, gestão e manutenção das finanças e questões tributárias, entre tantas outras atividades internas e externas.

Por que fazer uma boa gestão de capital humano?

Vivemos em tempos de transformação digital e, como muito se diz, na era da informação e do conhecimento. Dado o contexto, o talento humano e suas capacidades são considerados diferenciais competitivos no atual mercado de trabalho. Veja a seguir os principais motivos pelos quais é tão importante fazer uma gestão de capital humano.

Aumenta a autonomia da equipe

Talvez, uma das principais dificuldades enfrentadas pelos gestores seja ter um time de profissionais composto por pessoas capazes de trabalharem com autonomia. Em grande parte dos casos, esse desafio não está na equipe em si, mas sim na liderança, que tem pouco entendimento do motivo pelo qual aqueles profissionais estão sob sua supervisão, muita preocupação e não inspira confiança.

Ou seja, se os próprios líderes não acreditam que os ativos humanos estejam prontos para pensar e agir sem que sejam supervisionados o tempo todo, dificilmente os liderados terão iniciativa para agirem por conta própria.

O conceito de autonomia está ligado à capacidade de tomar decisões e não depender de outras pessoas para agir. Dentro do ambiente organizacional, isto significa ter uma comunicação clara e transparente entre a equipe e o líder, para que se exponham os objetivos profissionais coletivos e individuais.

Eleva o engajamento dos colaboradores

Considerando que uma equipe de profissionais convive cerca de oito a dez horas por dia, dependendo da necessidade ou do formato de trabalho, é imprescindível que este tempo seja agradável e produtivo.

Estamos nos referindo ao clima organizacional. Quando esse clima não é favorável, a tendência é que a produtividade caia, visto que os colaboradores não terão a mesma motivação para realizar as suas funções e, tampouco, darão o melhor de si. Afinal, como os profissionais vestirão a camisa de uma empresa em que não têm vontade de trabalhar?

Dito isso, uma das razões pelas quais é tão importante gerir bem o capital humano está no fato de que boas práticas, neste sentido, ajudam a aumentar o engajamento entre os membros do time de colaboradores, além de otimizarem a sensação de pertencimento à equipe.

Quais os pilares essenciais para gerir pessoas?

O ato de gerenciar pessoas não é somente uma estratégia para motivar os profissionais e satisfazer suas necessidades. É preciso que essa tática tenha uma abordagem mais completa, que servirá para guiar a empresa em direção à humanização e ao desenvolvimento de quem a integra. Para tanto, essa gestão deve estar baseada em alguns pilares.

Engajamento

O engajamento é considerado um dos mais importantes propulsores para os demais pilares da gestão de capital humano. Isso se deve ao fato de que ele incentiva o comprometimento individual pelo bem coletivo, isto é, pelos resultados da empresa. Um profissional engajado com as causas da organização traz muito mais retorno em forma de resultados.

Em uma perspectiva mais ampla, é crucial que a companhia saiba o que, de fato, engaja e motiva o seu quadro de talentos, em suas particularidades. Entre os fatores motivacionais, podemos citar: plano de carreira, bonificações, possibilidade de desenvolvimento contínuo, alinhamento de propósitos entre o profissional e a empresa, entre outros.

Comunicação

Se o engajamento é o propulsor dos demais pilares da gestão de capital humano, a comunicação é o fundamento que segura toda a estrutura e o planejamento. É com base em uma comunicação direta, transparente e livre de hierarquias que os funcionários se sentem parte do todo.

Para isso, há uma ferramenta poderosa: o feedback. Ele serve como canal de comunicação confiável entre o empregado e o empregador. Para que o feedback ocorra de forma natural, é preciso que o profissional saiba que pode se expressar sem risco de represálias.

Trabalho em equipe

A colaboração é o terceiro pilar da gestão de pessoas. Sem o trabalho em equipe, a organização não pode ter sucesso em suas atividades. Por isso, podemos afirmar que a colaboração também é um diferencial para melhorar o clima do ambiente de trabalho, tornando mais saudável e propício para o desenvolvimento.

Existem formas de fomentar o trabalho em equipe na empresa e estreitar as relações entre os profissionais, como: happy hours ou projetos que envolvam membros de diferentes departamentos da empresa. A ideia é aproximar os profissionais e unir competências distintas para que eles tenham a oportunidade de conviver e se engajar.

Conhecimento e competência

Os conhecimentos e competências formam a parte intelectual do capital humano. Contudo, considerando que nenhum profissional é capaz de deter todo o conhecimento, é preciso desenvolver a melhoria contínua. Para tanto, é importante trabalhar as competências técnicas de cada profissional e fortalecer a estratégia criada para a gestão de pessoas na empresa.

É claro que tudo isso depende de processos bem apresentados, como a avaliação de desempenho com base nas expertises e um recrutamento transparente, a fim de aprimorar o gerenciamento dos ativos humanos na empresa.

Treinamento e Desenvolvimento

É por meio dos treinamentos corporativos que o capital humano se desenvolve, pois a empresa consegue identificar as lacunas de competências e conhecimentos de seu time de colaboradores e, com isso, trabalhar para aprimorar todos os profissionais que integram a equipe de talentos.

Neste pilar, a organização tem a oportunidade de transformar seus colaboradores em profissionais altamente qualificados para lidar com as novas demandas e desafios do mercado. Ou seja, a empresa nivela os seus talentos no mais alto patamar, gerando vantagem competitiva para bater de frente com qualquer concorrente.

test

Como desenvolver o capital humano?

Qualificar os profissionais da empresa deve ser uma preocupação recorrente para as organizações que buscam se consolidar no mercado e entendem o valor das pessoas neste contexto. Como já foi mencionado, o capital humano leva em consideração a experiência adquirida pelos colaboradores, seja por meio do conhecimento teórico, seja na prática.

Sendo assim, é preciso ter consciência de que, para aprimorar o capital humano, é preciso desenvolver os comportamentos e habilidades dos profissionais da empresa, independentemente dos cargos ocupados. Veja a seguir algumas boas práticas de gestão de pessoas!

Ofereça um bom plano de carreira

Uma ótima estratégia para reter os melhores talentos do mercado e, ainda, desenvolver o capital humano, é oferecer um bom plano de carreira. Dessa forma, os profissionais podem trabalhar engajados. Primeiro, porque existe um objetivo, isto é, eles têm convicção de onde podem chegar. Segundo porque essa é uma forma de valorizar o desempenho do funcionário.

Dito isso, investir nas habilidades e conhecimentos técnicos desses profissionais, além de oferecer a eles uma oportunidade de alcançar melhores posições na empresa não apenas contribui com seu desenvolvimento, como também abre caminho para que os objetivos institucionais sejam alcançados.

Dê autonomia à equipe

Como já mencionamos, o capital humano tem uma relação direta com o engajamento e a confiança que os empregadores depositam na equipe. Assim, se há algum membro entre o time de profissionais que duvida de seu próprio potencial ou, ainda, não se sente capacitado para tomar uma decisão sozinho, a organização pode enfrentar problemas relacionados aos seus ativos mais importantes.

Sendo assim, é crucial dar autonomia o suficiente para que os empregados tomem decisões e trabalhem a autoconfiança. Esse caminho é fundamental para potencializar a parceria entre a empresa e os seus colaboradores.

Ofereça bonificações

Quando se fala em bonificação, é crucial compreender que existem diferenças consideráveis em relação às políticas de benefício. Isso se deve ao fato de que, enquanto os benefícios podem ser entendidos como aspectos que integram a remuneração – sendo fundamentais para a manutenção dos profissionais – as bonificações são estratégias para incentivar os funcionários a atingirem uma determinada meta.

A tática de usar recompensas como ferramenta de estímulo de produtividade deve ser usada como uma forma de investir no capital humano e em seu desenvolvimento. Quando a empresa concede um bônus, mostra que confia no potencial de seus colaboradores, em seu trabalho e que reconhece seus esforços para apresentar melhores resultados.

Invista na capacitação e treinamentos

Por fim, vale destacar, a importância de investir em treinamentos e capacitações dos colaboradores. Se o objetivo é investir no capital humano e extrair o máximo de seu potencial, é muito importante aprimorar as competências necessárias para o exercício de cada função. Esses indivíduos devem evoluir de acordo com as demandas do mercado.

Quando a empresa valoriza seu capital humano, garante uma vasta gama de benefícios aos negócios, seja na rotina, seja na estrutura. Funcionários valorizados têm uma tendência a errar menos e serem mais produtivos e motivados. Por consequência, há um aumento na retenção de talentos e as equipes passam a atuar de forma muito mais engajada.

Como você pôde contemplar neste material, o capital humano é o ativo mais precioso de uma empresa, pois é graças a ele que a organização é capaz de competir em um mercado altamente competitivo como o atual e, ainda, se destacar em meio à concorrência. Aderir boas práticas de gestão de pessoas é fundamental para manter os profissionais motivados, aumentar a produtividade e reter os talentos.

Quer ficar por dentro de todas as postagens e conteúdos informativos sobre recrutamento, seleção e gestão de pessoas? Então siga a Gupy nas redes sociais para não perder nenhum de nossos materiais e dicas úteis para o universo corporativo! Estamos no Instagram, no Facebook, no LinkedIn e no YouTube!

Nova call to action
Vamos juntos tranformar o RH da sua empresa?

Contrate a pessoa certa, sempre.

Os seus critérios de seleção, aplicados de maneira inteligente e rápida com a Gupy - o software de Recrutamento e Seleção favorito das grandes empresas do Brasil.

Solicitar demonstração →