Gestão de conflitos: o que é, como fazer e importância


8 minutos de leitura

Os recursos humanos são os ativos mais importantes de uma empresa, pois, sem eles, o negócio não sobrevive e tampouco pode crescer em seu segmento de atuação no mercado. No entanto, em ambientes nos quais há uma diversidade de pessoas convivendo diariamente, maiores são as chances de ocorrem problemas, e é exatamente neste contexto que a gestão de conflitos se enquadra.

Os impactos negativos que as divergências entre os colaboradores pode gerar para a organização afetam diretamente o índice de produtividade, já que a falta de engajamento e comunicação é uma das causas de atrasos nas entregas e má qualidade dos produtos ou serviços oferecidos. Sem mencionar questões como o aumento do absenteísmo e o turnover.

Por isso, preparamos este artigo para que você entenda melhor o que é gestão de conflitos, quais as melhores formas de colocar essa estratégia em prática, quais motivos causam problemas entre os funcionários nas empresas, entre outros pontos pertinentes. Continue a leitura para saber conferir!

Neste conteúdo você verá as seguintes informações:

  • 1. O que é gestão de conflitos?
  • 2. Quais são as principais causas de conflitos nas empresas?
  • 3. Qual a importância da gestão de conflitos em uma empresa?
  • 4. Como fazer a gestão de conflitos de forma eficiente?
  • 5. Quais erros evitar na gestão de conflitos?

O que é gestão de conflitos?

Trata-se de um conjunto de medidas e ações para estabelecer um ambiente organizacional mais harmonioso e saudável entre os profissionais por meio de soluções para as divergências que ocorrem no cotidiano do local de trabalho, como:

  • reuniões entre pessoas com diferentes personalidades e opiniões;
  • troca de feedbacks;
  • eventos e atividades descontraídas (happy-hour);
  • estratégias para aumentar o engajamento da equipe.

Entre outras atitudes que têm como objetivo garantir a produtividade do time de colaboradores e melhorar o gerenciamento dos ativos humanos.

Sabemos que, até um certo ponto, os conflitos no ambiente laboral são comuns. Contudo, essa questão merece atenção constante para que não saia do controle a ponto de afetar o desempenho e comprometer outros aspectos da empresa, como a qualidade do atendimento ao cliente ou até mesmo a saída de talentos da companhia.

Acompanhar o relacionamento entre as pessoas e o clima organizacional é uma das principais responsabilidades do departamento de Recursos Humanos, não importa qual seja o porte do negócio ou o seu nicho de atuação no mercado.

Quais são as principais causas de conflitos nas empresas?

De uma maneira geral, as divergências entre a equipe costumam acontecer devido às diferenças profissionais ou pessoais, empecilhos que afetam direta ou indiretamente a realização do trabalho de um determinado colaborador ou pela simples diferença de opinião.

Entre as causas de conflitos nas empresas, podemos citar:

  • objetivos e metas divergentes;
  • falta de informação;
  • lideranças tóxicas;
  • imposição de novas regras e restrições;
  • abuso de poder;
  • falhas de comunicação ou interpretação equivocada;
  • indisponibilidade ou má distribuição de recursos;
  • interdependência na execução de tarefas;
  • implementação de novos procedimentos;
  • mudanças muito bruscas ou rápidas em processos;
  • prazos irreais ou o descumprimento deles;
  • contradição na postura da empresa em relação ao seu código de cultura e políticas;
  • estresse.

Na maioria dos casos de conflitos dentro do ambiente de trabalho há relação com posturas abusivas ou disputas por poder. Além disso, profissionais com postura autoritária têm mais dificuldade para lidar com divergências, diferente dos colaboradores mais empáticos e resilientes.

Qual a importância da gestão de conflitos em uma empresa?

Como você pôde entender até aqui, divergências causadas por diferenças de pensamento e posturas são comuns no ambiente de trabalho. Mas existem grandes benefícios que a empresa pode usufruir quando adota medidas eficientes para fazer uma boa gestão de conflitos.

Veja a seguir alguns dos motivos pelos quais vale a pena investir em boas práticas de gestão de conflitos.

Melhora o engajamento da equipe

Um ambiente de trabalho harmonioso tende a ser mais propício à produtividade, o que favorece o engajamento entre os colaboradores devido à estabilidade emocional mesmo perante metas desafiadoras e situações adversas comuns no cotidiano corporativo.

Fortalece a cultura organizacional

Quando todos os membros da equipe de profissionais convivem em perfeita harmonia, buscando sincronia de pensamento e objetivos alinhados, o espírito de colaboração é melhor trabalhado, o que ajuda a fortalecer a cultura organizacional.

Reduz os índices de turnover e absenteísmo

Quando o RH consegue controlar os conflitos entre os colaboradores da melhor maneira possível, uma das consequências positivas é a redução no absenteísmo. Além do mais, o índice de turnover é diretamente impactado, pois os profissionais se sentirão satisfeitos por trabalharem em uma empresa que proporciona um ambiente de trabalho saudável, ético e respeitoso.

Aumenta a competitividade do negócio perante o mercado

As diferenças de pensamentos são comuns em uma empresa que tem boas políticas de diversidade no trabalho, mas não há dúvida de que se não houver uma gestão de conflitos eficiente alguns pontos podem afetar o desempenho das atividades.

Por isso, gerenciar as divergências ajuda a empresa a se manter altamente produtiva e, por consequência, mais competitiva diante de seus concorrentes.

Como fazer a gestão de conflitos de forma eficiente?

Agora que você já sabe o que é gestão de conflitos, quais os principais pontos que causam divergências no ambiente organizacional e por que é importante saber gerenciar essa questão, mostraremos algumas dicas sobre como colocar essa estratégia em prática.

Defina os valores da empresa

As políticas internas, missões e valores da empresa devem ser definidos ainda nos processos de recrutamento e seleção, para que tanto os candidatos quanto os colaboradores recém-contratados entendam qual é a visão da companhia. Assim, os objetivos são alinhados.

É muito importante que essas definições sejam transmitidas e reforçadas com clareza e transparência para todos os profissionais, uma vez que servirão como parâmetro para nortear o comportamento e a conduta a seguir seguido pelo quadro de funcionários.

A partir dessas visões, é fundamental destacar que o posicionamento individual deve ser igual para todos, isto é, os princípios morais e éticos devem caracterizar a forma como cada integrante da equipe se comporta, independentemente do cargo ou posição hierárquica.

Conheça bem a sua equipe

A melhor maneira de gerenciar os diferentes temperamentos, respeitar os limites e particularidades de cada membro é conhecer o perfil da equipe. Para que todos sejam respeitados no ambiente organizacional é imprescindível que o líder conheça os profissionais com quem trabalha. Afinal, um dos papéis fundamentais do gestor é apaziguar as divergências que podem acontecer devido a diferenças de pensamento entre alguns colegas de trabalho.

Se há um funcionário que gosta de criar intrigas, o ideal é chamá-lo para conversar ou transferi-lo para outro departamento. Atitudes que causam desconforto e atrapalham a produtividade jamais devem ser reforçadas.

Identifique os problemas

Um pequeno problema, quando não identificado a tempo, pode se transformar em sérios desentendimentos, levando a companhia a ter de tomar medidas drásticas para contornar a situação, como o afastamento ou até mesmo o desligamento de bons profissionais de seus cargos.

Identificar o conflito é o primeiro passo. Cada profissional deve ter a sua postura avaliada, isto é, a forma como está trabalhando e o seu desempenho devem ser mensurados, assim como a maneira como o colaborador trata os seus colegas e a incidência de erros operacionais no dia a dia.

É importante identificar o problema a tempo, pois dependendo do tipo de conflito e do cargo do profissional, as consequências podem ser maiores, visto que alguns funcionários têm contato direto com fornecedores externos ou com os clientes.

Trabalhe as habilidades de comunicação

Uma das características para ser um bom gestor é saber se comunicar com toda a equipe, independentemente das diferenças de pensamento ou comportamento. Sendo assim, utilize as habilidades de comunicação para evitar situações mais complexas e reaproximar colegas.

Dado o contexto, o líder deve assumir o papel de diplomata, buscando sempre conciliar os interesses e necessidades de cada integrante da equipe, e não ser mais um fator que motive conflitos. Os diálogos e a troca de feedbacks devem ser incentivados, já que muitas vezes uma divergência é causada por falhas de comunicação.

Incentive a participação de todos

A resolução de problemas deve ser guiada pelo gestor, mas só terá eficiência se houver a participação de todos os integrantes da equipe. É muito importante deixar evidente que não se trata de procurar culpados, mas sim de resolver as questões que geram atritos e tornar o ambiente de trabalho mais agradável de uma maneira geral.

Faça uma reunião para que cada colaborador possa expressar o seu ponto de vista sobre um mesmo fato. Mas é muito importante ter sabedoria nesse momento para que não haja uma potencialização do conflito e uma intensificação do problema.

Mantenha-se na neutralidade

A gestão de conflitos só pode ser aplicada com eficiência se for guiada por um líder neutro. Ou seja, um profissional que entenda o nível de responsabilidade que tem em mãos, jamais tome lados na história e sempre busque fazer o que é melhor para o bem-estar de todos os envolvidos.

Faça transparecer que ninguém será privilegiado por ocupar um determinado cargo ou posição hierárquica. É fundamental que fique claro que as regras se aplicam com o mesmo peso a cada membro da equipe. Caso contrário, o efeito pode ser adverso e abrir uma grande margem para novos conflitos.

Ouça o que os colaboradores têm a dizer

Como já foi abordado, um ambiente organizacional no qual há liberdade para troca de feedbacks tende a ser muito mais saudável, amistoso e produtivo. Ouvir as queixas dos colaboradores sem julgá-los é um dos pontos cruciais de uma boa gestão de conflitos.

Mostre-se acessível para que dúvidas sejam sanadas e imagens negativas apagadas. A ideia aqui é fazer com que os colegas aprendam a se respeitar a ponto de aumentar o engajamento entre todo o time de funcionários.

Quais erros evitar na gestão de conflitos?

Para finalizarmos, é importante destacar alguns erros que devem ser evitados em uma estratégia de gestão de conflitos. Veja a seguir quais são essas práticas:

Acomodar-se com o conflito

Infelizmente, líderes que acabam se acomodando com o fato de que existem divergências entre membros de sua equipe é algo bastante comum nas organizações, e o grande problema disso é que os impactos dessa falta de postura são sentidos pelo consumidor final.

Afinal, se o líder sabe que o seu time está com problemas que possam causar atrasos nas entregas ou afetar a qualidade dos serviços e não faz nada a respeito, é apenas uma questão de tempo até ocorrerem descumprimentos do cronograma ou clientes insatisfeitos.

Evitar o conflito

Isso ocorre quando o problema é identificado pelo líder, ele sabe que haverá um impacto na entrega final, mas não age no momento em que deveria. Ou seja, a equipe não é cobrada para ser mais ágil e eficiente e tampouco o cliente é informado sobre a possibilidade de um atraso.

Abusar do poder

Sem dúvida, essa é uma das principais posturas que devem ser abolidas, pois um líder abusivo é um dos motivos pelos quais o ambiente organizacional se torna tóxico e muito mais propício a conflitos.

O abuso de poder leva o líder a impor as suas decisões a todos os colaboradores, o que gera uma reação negativa por parte do time e os resultados serão desastrosos, a ponto de fazer com que a companhia perca grandes talentos por desligamento voluntário. Uma ótima forma de evitar esse tipo de problema é aplicar um teste de integridade nos líderes da companhia.

Como você pôde contemplar neste conteúdo, fazer uma gestão de conflitos de maneira eficiente é uma grande responsabilidade do departamento de Recursos Humanos, visto que os impactos negativos que as divergências no ambiente de trabalho podem gerar são muito graves. Não apenas a produtividade do negócio é afetada de uma maneira geral, como também alguns índices indesejáveis são aumentados, como o absenteísmo e o turnover.

Este conteúdo sobre como fazer a gestão de conflitos com eficiência na empresa foi útil para você? Então, aproveite para compartilhar os conhecimentos abordados com os seus amigos e familiares nas redes sociais!

Nova call to action
Vamos juntos tranformar o RH da sua empresa?

Contrate a pessoa certa, sempre.

Os seus critérios de seleção, aplicados de maneira inteligente e rápida com a Gupy - o software de Recrutamento e Seleção favorito das grandes empresas do Brasil.

Solicitar demonstração →