Talent acquisition: o que é, 8 tendências e diferenças para o recrutamento de pessoas

Talent acquisition é uma estratégia de identificação e atração de talentos do mercado para a contratação. Também conhecido como aquisição de talentos, esse método faz parte da área de RH focada em recrutamento e seleção.


9 minutos de leitura

Não importa o tamanho da sua empresa. O sucesso de uma organização é determinado por quem faz parte dela, o que está diretamente relacionado ao processo de aquisição de talentos. 

Mas, afinal, o que é talent acquisition? Como esse trabalho se diferencia da atividade de recrutamento?  Quais são as responsabilidades do profissional que atua na área?

Responder essas perguntas (e outras perguntas) é o objetivo deste artigo. Mas já fica aqui já um spoiler: um processo visa o longo prazo, e outro, é mais imediato e tático. 

Vamos lá?

O que é talent acquisition?

Aquisição de talentos é uma abordagem estratégica para identificar, atrair e integrar os melhores profissionais na sua empresa com o objetivo de atender com eficiência as necessidades dos negócios. A explicação é de Dipak Kumar Bhattacharyya, autor do livro The Magnetic Organization: Attracting and Retaining the Best Talent

Trata-se de um processo contínuo de atrair, encontrar e selecionar profissionais com habilidades e aptidões relevantes para uma determinada posição.

O raciocínio por trás desse trabalho é conhecido dos profissionais de RH: colocar talentos nas vagas certas ajuda as empresas a alcançarem os objetivos de negócio.

Nova call to action

Qual é a diferença entre talent acquisition e recrutamento?

Apesar desses termos serem usados como sinônimos em várias ocasiões, eles guardam diferenças. A principal delas está relacionada ao tempo, de acordo com a consultoria Randstad. 

  • O trabalho de talent acquisition tem uma visão de longo prazo sobre como você pode munir sua empresa com as habilidades e experiência que ela precisará para continuar entregando resultados no futuro. 
  • Já o recrutamento é um processo mais imediato e reativo, que foca em encontrar candidatos para preencher as vagas que estão abertas. 

Segundo Bhattacharyya, recrutamento é parte de um trabalho de talent acquisition e inclui atividades como atrair, filtrar, entrevistar, selecionar, contratar e ambientar os profissionais. 

Outra forma de diferenciar as duas ideias é pensar o recrutamento como um processo linear, com um ponto final claro: o objetivo é preencher uma vaga aberta.

Já talent acquisition é um atividade cíclica que antecipa as necessidades futuras da empresa e cria um funil de talentos. Por isso mesmo, a área também trabalha com conceitos como employer branding e employee value proposition

Kathleen Quinn Votaw, autora do livro Resolva o Enigma de Pessoas: como empresas de alto crescimento atraem e retêm os melhores talentos, em tradução livre, aponta que as empresa cujos segmentos de atuação têm escassez de profissionais são aquelas que mais precisam de uma estratégia de aquisição de talentos.

É o caso, por exemplo, de negócios da área de tecnologia, que devem basear o processo de atração de profissionais em torno de uma cultura forte, benefícios exclusivos e gestão da marca empregadora. 

Além do setor de tecnologia, indústrias de óleo e gás, energia, telecomunicações, lazer e turismo e construção são as áreas mais afetadas pela falta mão de obra qualificada, segundo o estudo global International Business Report, da consultoria Grant Thornton.

Como surgiu o conceito de talent acquisition?

A aquisição de talentos é uma prática relativamente moderna. Ela foi desenvolvida pelas empresas para acompanhar as transformações da sociedade.

Vamos fazer um percurso histórico: em 1960, quando o grande crescimento da economia mundial começou, a ideia de trabalho era encontrar uma colocação adequada, em uma boa empresa, e continuar ali até se aposentar ou encontrar uma colocação melhor.

Trabalhava-se um período fechado de tempo por dia, com horário de almoço determinado, folga semanal, ou seja, uma rotina contínua. Provavelmente, você reconheceu esse perfil nos seus avós e até mesmo pais.

Quando a revolução tecnológica começou, a maneira de estruturar o trabalho começou a sofrer alterações. Entrou o conceito de gestão de pessoas, que transformou a forma como os Recursos Humanos trabalham.

Nesse contexto, mais do que buscar perfis, iniciou-se uma busca por talentos. O funcionário precisa, mais do que tudo, ter o que a empresa procura. O processo de recrutamento e seleção começou a ser uma busca pelo melhor talento.

Foi dessa forma que o talent acquisition começou. Essa é uma forma estratégica de encontrar mão de obra qualificada. Nesse método, além da presença da equipe, há a preocupação com a construção de um relacionamento com os candidatos que não foram selecionados, criando um pool de talentos.

Você precisa contratar mais e melhor? Assista ao curso online e gratuito Employer Branding na Prática para alavancar a atração de talentos na sua empresa

New call-to-action

Qual a importância de uma estratégia de talent acquisition?

Para compreender melhor o funcionamento da aquisição de talentos, é preciso entender sua importância para a empresa. A primeira vantagem é contar com a escolha de profissionais diferenciados, alinhados com o negócio.

Além disso, quando se tem uma estratégia de talent acquisition, diminui-se a taxa de rotatividade de pessoal. O profissional selecionado se adequa à proposta da empresa e tem uma identificação com a cultura empresarial, enxugando o turnover.

Principais práticas dessa estratégia

Entre as principais práticas envolvidas no talent acquisition, estão:

  • divulgação: aqui, vale uma perspectiva de marketing. É preciso fazer com que as pessoas saibam da vaga que está aberta. Vale publicação em redes sociais e em outros espaços nos quais o seu candidato se encontra;
  • foco nas pessoas: o candidato é uma pessoa e não apenas um currículo. Responda à proposta de candidatura com rapidez, sanando todas as dúvidas. Seja cordial e lembre-se de que do outro lado está uma pessoa esperançosa;
  • descrição da cargos: ignorada muitas vezes, ela deve ser ótima. A descrição da vaga precisa atrair o tipo certo de candidatos, considerando que será ela quem vai definir as pessoas que vão se candidatar.

Vale lembrar que o talent acquisition envolve foco na construção de uma equipe engajada e alinhada com os objetivos da empresa.

O que faz um profissional de talent acquisition?

Esse especialista é responsável por encontrar, avaliar e contratar pessoas altamente talentosas com potencial para contribuir com a empresa. Entre as habilidades que esse profissional deve ter, estão o domínio de estratégias de recrutamento, de avaliação de candidatos, de padrões de contratação e práticas de employer branding. 

Em algumas empresas, esse time de especialistas é parte do departamento de Recursos Humanos. Em outras, é uma área que trabalha em parceria com o RH. 

Quais as principais tendências em talent acquisition?

1) Soft skills

Em 2019, o LinkedIn liberou o Global Talent Trends Report, com as maiores tendências. Nesse documento, as soft skills (características sócio-comportamentais) foram citadas por 92% dos entrevistados como essenciais para a contratação.

Aliás, para 89% deles, essas são as características decisivas para o sucesso na função. Para eles, o empregado que se sai bem é aquele que tem as soft skills que combinam com a cultura organizacional da empresa.

2) Trabalho flexível

A forma de trabalhar mudou e, com isso, surgiu a metodologia de trabalho flexível. Nele, em vez do método tradicional, inserido em um escritório por um período de tempo determinado, tem-se a opção de trabalhar de forma diferenciada.

Segundo o LinkedIn, as vagas que oferecem flexibilidade cresceram 78%, desde 2016. Este é um dado importante, pois mostra que o método  vem sendo adotado pelas empresas e tem resultados positivos.

3) Experiência do candidato

Aqui, não estamos falando dos trabalhos anteriores, mas sim, da relação do candidato com a sua empresa. Ela é essencial para o talent acquisition.

Afinal, quando a empresa não consegue ter um posicionamento positivo na sociedade, isso afeta a relação dela com os candidatos. Assim, a visão que as pessoas têm da empresa faz com ela aceite mais rapidamente, ou não, a proposta de emprego.

Estas três tendências se concretizaram em 2019. Vale destacar que elas devem permanecer em ação no próximo ano, em conjunto com as novidades a serem observadas.

Banner do ebook "Experiência do candidato: como encantar do começo ao fim?", com um botão escrito "baixe agora"

4) Talento total

A composição das empresas tem mudado e observar todas as oportunidades que a pessoa teve e como elas construíram o profissional que ela é hoje é permitir uma visão holística.

Essa observação vale para todos os tipos de emprego, até mesmo os temporários. Afinal, sempre há a chance de acontecer uma efetivação.

5) Velocidade

Com a sociedade cada vez mais acelerada, os resultados precisam ser rápidos. Por isso, um processo de recrutamento e seleção deve ser eficaz, no menor tempo possível, permitindo que os talentos sejam inseridos rapidamente na empresa.

Vale destacar que a rapidez também permite que o candidato ideal não escape. Segundo dados da Hiring Outlook, 55% dos candidatos têm pelo menos mais dois processos em andamento.

6) Tecnologia

A inteligência artificial já é uma realidade dentro do processo de seleção. Para 2020, os modelos de previsão, bem como a construção do perfil do candidato, vão consolidar a presença da tecnologia no RH.

Com esse avanço, a linguagem computacional tem se tornado cada vez mais desenvolvida. Assim, os programas que contam com IA já são capazes de atuar em diferentes frentes do recrutamento.

Banner do ebook "Tecnologia no RH: como a inteligência artificial gera mais resultados para a sua empresa", com um botão escrito "baixe o e-book"

7) Diversidade e inclusão

Segundo pesquisa da Yello, as gerações que estão entrando e assumindo a maioria do mercado de trabalho acreditam que ele deve ter diversidade e inclusão.

As empresas que não contam com um processo que considere estes dois fatores, com certeza, vão perder talentos. Aliás, essa tendência anda em conjunto com a identificação da marca. Por isso, mais do que apenas se dizer diversa, a empresa precisa se mostrar dessa forma.

 

8) Transparência

O processo de recrutamento, normalmente, é cercado de muitos segredos. No talent acquisition, o candidato deve saber sobre o processo e a sua posição nele. Ou seja, se ele tem o perfil ideal, conte.

Mas se caso a empresa manter as informações reservadas, ela afasta o candidato. Por isso, vale lembrar: eles estão passando pelo mesmo processo em outras organizações. Seja honesto e não crie falsas esperanças.

Como você viu, o talent acquisition é um método que só tem vantagens a oferecer para a empresa. Essa prática vem para ganhar ainda mais força nos próximos anos. Você está preparado para ela?

Sugerimos que comece hoje mesmo a criar ações nesse sentido, por isso, aproveite para executar e acompanhar suas estratégias de atração e gestão de candidatos com a nossa planilha de Inbound Recruiting!

New call-to-action
Vamos juntos tranformar o RH da sua empresa?

Contrate a pessoa certa, sempre.

Os seus critérios de seleção, aplicados de maneira inteligente e rápida com a Gupy - o software de Recrutamento e Seleção favorito das grandes empresas do Brasil.

Solicitar demonstração →