O que você faz para deixar o turnover longe da sua empresa?

imagem de uma pessoa em formato de quebra-cabeça, representando o turnover e fit cultural
"Oi, você me conhece!

Eu estou em todas as organizações, presente e persistente.
 
Acabo aparecendo na maioria dos casos, ao aproximar do final do ano ou início dos anúncios de entrega de resultados e metas.
 
Sou eu, o TURNOVER.
 
Já tive a experiência de passar por organizações onde há incentivos, indicadores, iniciativas e até mesmo prêmios para colaboradores que se destacam ou gerenciam de maneira positiva o engajamento de seus pares e colegas.
 
Já passei também por organizações que investem em um ambiente de trabalho descontraído, onde o video game de última geração era básico perto dos demais investimentos para a melhoria do engajamento.
 
Já estive presente também em companhias onde o colaborador recebia uma quantidade em dinheiro assim que entrasse na organização, já delimitando um prazo mínimo de permanência para que tivesse acesso ao valor recebido.
 
E em todas essas experiências, eu me mantive ali, presente, firme e forte. 
 
Mas quem disse que o que me mantém distante é um quadro neon na parede, café grátis ou playstation?
imagem de uma pessoa em formato de quebra-cabeça, representando o turnover e fit cultural
 
 
Tenho notado que a cada dia, o ambiente de trabalho, rotinas e o modo como vocês enxergam o jeito de desempenhar funções tem se alterado de forma rápida, se adaptado à essa tendência em desenvolver uma atmosfera de trabalho mais harmoniosa ou que traga felicidade ao dia-a-dia.
 
Tudo isso com foco em melhoria de performance e redução da taxa de desligamentos. 
 
O problema é que nada disso funciona, se você não tiver em sua organização dois ingredientes importantes para me manter afastado.
 
O primeiro é a análise interna de cultura organizacional.  É preciso identificar o modo de trabalho e como você deseja produzir/construir os seus resultados como empresa. Com isso em mente, parta para a área de recrutamento e seleção,  buscando pessoas que possuam os mesmos traços culturais ou de comportamento como o da organização.
 
O segundo é a determinação de um propósito e a identificação dele em todas as rotinas de trabalho e entregas da organização. Ter funcionários e colaboradores engajados que remem na mesma direção que o propósito do barco da organização pode aumentar a performance das suas entregas, além de engajar o time a entregas com ruídos menores.
 
Quer me ver longe? Meu conselho final: Não fabrique sua cultura organizacional. Reúna os membros da equipe com respeito, ofereça oportunidades para que todos aprendam e cresçam e seja claro quanto às expectativas .
 
Pessoas talentosas sempre terão uma série de oportunidades disponíveis para elas, mas se elas acreditam em sua missão e se você estiver genuinamente investido no sucesso delas, então terá meio caminho andado.
 
Eu sou o turnover e sou popular aqui na sua empresa. O que você vai fazer sobre isso?"
 
imagem de duas pessoas em formato de quebra-cabeça, representando o turnover e fit cultural
 
Se você anda precisando conhecer mais seu turnover, então está na hora de saber como criar um ambiente favorável para retenção de talentos, artigo da Gupy com tudo sobre o tema!   
 
New Call-to-action

Inscreva-se na nossa Newsletter

Ebook: Como escolher as melhores perguntas para entrevistas de Candidatos
Painel de Indicadores de Recrutamento e Seleção Planilha Custo do Recrutamento e Seleção
Raul Donadeli | GUPY

Raul Donadeli | GUPY

Formado em Propaganda em Marketing com ênfase em Gestão de Marcas, Produtos e Serviços e Especializado em Business Innovation pela Harvard, Raul já atuou como Business Partner e Coordenador de Recrutamento e seleção na Kraft Heinz por 3 anos. É apaixonado por gastronomia e fotografia, além de um bom quadrinho de super-heróis no tempo livre.